Congresso das Plantas Daninhas: “Podemos vencer juntos a resistência”

Agronegócio

Congresso das Plantas Daninhas: “Podemos vencer juntos a resistência”

Diz pesquisador da Embrapa Fernando Adegas
Por: -Leonardo Gottems
3108 acessos

 

O XXX Congresso Brasileiro da Ciência das Plantas Daninhas concluiu sua programação científica apontando alternativas para a superação do problema de resistência constatado atualmente na agricultura do País. De acordo com o pesquisador da Embrapa Soja e presidente da comissão organizadora, Fernando Adegas, trata-se de “um grande desafio, mas podemos vencer juntos”.

“Saímos daqui com a certeza de que o controle químico segue sendo importante no combate às plantas daninhas, mas não pode ser encarado como a única solução. Temos alternativas de manejo que precisam ser consideradas e foram amplamente debatidas. Entendemos que prevenir é sim infinitamente melhor do que remediar e que precisamos de muito conhecimento, muita tecnologia e, principalmente, saber adaptar essa tecnologia e fazer com que ela chegue até o produtor rural”, ressalta Adegas.

Segundo ele, “só pelo fato de termos conseguido reunir representantes de todos os setores envolvidos nessa questão – estudantes, pesquisadores, representantes das indústrias, consultores e produtores rurais – já valeu a pena”.

A preocupação com a resistência aos herbicidas foi tema recorrente nas discussões, que abordaram não somente a resistência ao Glifosato, como também aos inibidores da ACCAse e inibidores da Protox (PPO). Para completar o leque de discussão sobre resistência apresentado ao longo do evento, Terry R. Wright, da Dow AgroSciences USA, apresentou, na manhã desta quinta-feira (25), um panorama sobre o uso dos herbicidas mimetizadores da auxina (hormonais).

Além da questão da resistência, o evento debateu a necessidade de alternância entre herbicidas com diferentes princípios ativos, bem como a dificuldade enfrentada pelo setor para entregar novos produtos químicos aos produtores e a influência dos aspectos regulatórios sobre este ponto. A importância de buscar alternativas ao controle químico, como o manejo integrado das plantas daninhas, também foi tema fortemente debatido durante o evento.

O Congresso é promovido a cada dois anos pela Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas com o objetivo de debater os principais desafios para o setor e analisar suas perspectivas. Neste ano, contou com a organização conjunta Embrapa Soja, Epagri, Fundação ABC, PUC/PR, IFC, IFRS, UEM, UENP, UFPR, UTFPR, UFSC Curitibanos e UFPEL.
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink