Consumo não melhora e preços da arroba seguem pressionados

Agronegócio

Consumo não melhora e preços da arroba seguem pressionados

Proximidade do pagamento de décimos terceiros salários e o começo de mês não deram o fôlego esperado
Por:
328 acessos

A proximidade do pagamento de décimos terceiros salários e o começo de mês não deram o fôlego esperado para o mercado do boi gordo. Diante disso, em pleno período de sazonal alta nos preços, o cenário na maioria das praças, por enquanto, é de estabilidade a ligeira pressão de baixa, sendo que em algumas regiões o movimento baixista foi efetivo e reduziu as referências.

A isso é preciso agregar o efeito do feriado no meio da semana, que normalmente enxuga a oferta de boiadas, dificultando a compra dos frigoríficos, além da margem das indústrias acima da média histórica, indicando que existe poder de compra, caso haja necessidade de intensificar a obtenção de matéria-prima.

E isso só acontece se houver aumento de demanda. Em São Paulo, a heterogeneidade das escalas, que variam de 2 a 20 dias, indica que as indústrias têm buscado alternativas de compra que variam de mercado a termo, compra em outros estados, boiadas de parceiros e boiadas próprias. Os compradores que atuam somente no estado, realizando compra no mercado spot, têm as menores programações de abate.

A menor oferta de boiadas de cocho este ano, em todo o país, ajuda a dar sustentação ao mercado, ajustando um pouco mais a disponibilidade de animais terminados à demanda existente.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink