Contrato de opção nivela preço do milho no Nordeste


Agronegócio

Contrato de opção nivela preço do milho no Nordeste

Por: -Admin
2 acessos

Depois de uma semana de reuniões em Brasília, parlamentares da bancada nordestina no Congresso Nacional e líderes do setor avícola na Região, conseguiram encontrar um novo caminho para contornar a crise de abastecimento de milho no Nordeste. Com os fracassos dos dois leilões de compra realizados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, concordou em adotar os contratos de opção como instrumento de comercialização do milho.

O vice-presidente da Associação Avícola de Pernambuco (Avipe), Antônio Corrêa de Araújo, explica que a partir de agora, Governo, produtores de milho e avicultores passam a ter responsabilidade compartilhada. `A solução mais rápida e eficiente para o nosso abastecimento é o contrato de opção diretamente entre avicultores e produtores de milho`, observa. Esse resgate será feito através de um bônus para equalizar o preço do milho no mercado doméstico, de acordo com a cotação internacional. A medida evita que o produto seja exportado quando o mercado internacional estiver pagando melhor.

Araújo acredita que o milho deve chegar ao Nordeste em paridade com cotação da saca na Argentina, estimado hoje em R$ 25. `O Governo vai fazer uma tomada de preços no mercado argentino e nos estados produtores brasileiros e depois acrescentar os impostos e o frete sobre o valor do milho nacional. Depois compara as duas planilhas e paga o bônus referente a diferença de preço entre o grão nacional e o argentino`, detalha.

A modalidade de comercialização vai atender ao pleito dos avicultores de todo o Nordeste. De um total de 1,5 milhão de toneladas lançadas nos leilões de opção, 320 mil foram contratadas, principalmente pelo Mato Grosso.

O vice-presidente da Avipe ressalta o papel dos deputados federais Eduardo Campos (PSB-PE) e Roberto Pessoa (PFL-CE) nas negociações para equacionar o problema. `Além das reuniões em Brasília, o ministro Roberto Rodrigues enviou a Pernambuco e ao Ceará (maiores produtores de frangos e ovos do Nordeste), o diretor de Abastecimento do Ministério da Agricultura, Vilmondes Olegário da Silva, para ouvir a posição dos avicultores nos dois estados`, frisa Araújo.

Embora os contratos de opção sejam apontados como a solução mais rápida para minimizar a crise no setor, os avicultores ainda apostam na liberação do milho transgênico da Argentina como melhor alternativa para a atividade. Maior produtor de frangos e ovos do Nordeste, Pernambuco já contabiliza uma redução de 30% na atividade. Hoje o Estado produz 7,5 milhões de unidades de frango/mês e 3 milhões de ovos/dia. No Ceará, onde a queda na produção de frangos e ovos chega a 20%, os avicultores também apontam a aquisição do milho argentino para tentar solucionar o problema do abastecimento.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink