COOHAF reelege Juarez Cândido
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,116 (0,15%)
| Dólar (compra) R$ 5,60 (-0,23%)


Agronegócio

COOHAF reelege Juarez Cândido

Uma única chapa foi registrada, que ficou assim composta: Juarez da Rosa Cândido – presidente; Sérgio de Miranda - vice-presidente e Lindomar do Carmo Moraes, secretário
Por:
1035 acessos
A Cooperativa Habitacional da Agricultura Familiar (COOHAF) da Fetag realizou nesta quarta-feira (28) uma assembleia geral ordinária para prestação de contas do exercício 2011 e a eleição e posse do Conselho Administrativo e Fiscal. Uma única chapa foi registrada, que ficou assim composta: Juarez da Rosa Cândido – presidente; Sérgio de Miranda - vice-presidente e Lindomar do Carmo Moraes, secretário. Os efetivos para o Conselho Fiscal são: Gerson Nath, Bruno Leitzke e Lécio Antonio Gregory.

Ao longo desta década, mais de 11 mil casas – novas ou reformadas – foram entregues para agricultores familiares em todo o Estado. O presidente da COOHAF, Juarez da Rosa Cândido, afirma que de todas as bandeiras de luta do movimento sindical, a habitação está entre as maiores. “O agricultor precisa, em primeiro lugar, de terra e depois casa. No mínimo ela vem em segundo lugar”, justifica.

Ele lembra que nos anos 95-96, quando iniciou o Pronaf, havia recursos e programas para construir pocilgas, aviários, baias, enfim para qualquer tipo de criatório animal. Porém, não havia dinheiro para construir ou sequer reformar a casa da família. “Travamos uma grande luta pelo Pronaf Habitação, que não saiu. Mesmo assim, sete regionais sindicais da Fetag elegeram como prioridade na pauta do Grito da Terra Brasil em 2002. E com a criação da COOHAF começaram a surgir os programas habitacionais para o meio rural”, conta Juarez.

A principal meta em 2012, continua o dirigente, é o Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), um programa novo que no Grupo 1 (renda até R$ 15 mil) disponibiliza R$ 25 mil para casa nova em todo o Estado ou R$ 15 mil para melhorias. O subsídio é de 96% e apenas 4% é retornável, isto é, o desembolso do beneficiário é de somente R$ 1 mil. “Também as reformas, que estavam paradas desde 2007/2008, época em que ocorreu o trancamento de recursos, agora vamos priorizar igualmente as melhorias. Inclusive para os assalariados rurais com rendas formal e informal”, observa.

A partir de abril, a COOHAF quer operacionalizar o Grupo 2 para agricultores com renda mais elevada (R$ 15 mil a R$ 30mil) com operações de casa nova e melhorias, com subsídio de R$ 7 mil. E, finalmente, o Grupo 3, voltado a agricultores com renda consolidada (R$ 30 mil a R$ 60 mil), sendo um programa de financiamento, sem subsídio. “Até a metade do ano a pretensão é trabalhar nas três modalidades, com casas novas e melhorias”, completa.
 
 
Os números da COOHAF
                 Ano                    Programa                       Famílias beneficiadas
2002/2004              Procoop                                            225
2004/2005              Procomunidade                                200
2004/2005              PSH Rural                                        478
2005/2006              FGTS – Res. n° 460                      4.655
2007/2008              FGTS – Res. nº 518                     3.139
2008/2009              PSH Banrisul                                   396
2010/2012              PNHR                                            2.000
Total .........................................................................11.093

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink