Cooperativa do DF se destaca na produção agroecológica

Agronegócio

Cooperativa do DF se destaca na produção agroecológica

Alimentos sem agrotóxico, com segurança para o consumidor
Por:
594 acessos

Alimentos sem agrotóxico, com segurança para o consumidor, produtor e meio ambiente é a melhor alternativa para o agricultor familiar. Quem afirma isso é o produtor João Batista Alves Ribeiro, de 38 anos, que começou a produção sustentável há 20 anos, em um assentamento que fica na zona rural de Padre Bernardo, a 70 km de Brasília. 

Ele conta que a iniciativa da produção agroecológica começou em 1997 e que a comercialização se efetivou em 1999, com a Cooperativa Agroecológica dos Agricultores Familiares do Projeto de Assentamento Colônia I (Coopafama). Houve colaboração da Universidade de Brasília (UnB) com o projeto Educando para a Sustentabilidade, em parceria com Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), que contribuiu para o reaproveitamento dos resíduos orgânicos e incremento na geração de renda para as famílias assentadas.

Formado em Educação no Campo, curso oferecido pela UnB, João Batista vivenciou a diversidade de outras regiões, o que, segundo ele, trouxe muitas experiências para o assentamento. Hoje ele é o presidente da cooperativa e acredita ser importante cuidar tanto do ecossistema quanto da saúde de quem compra os produtos vendidos por eles. “O nosso foco é agradar o consumidor respeitando a qualidade de vida dele, sem deixar de proteger o meio ambiente”, afirma. 

Com 20 agricultores assentados, a cooperativa cultiva mais de 30 tipos de frutas, hortaliças, verduras e ervas. Entre as mais desejadas pelos clientes estão o tomate, morango, couve, alface e cenoura. São vendidas 450 caixas de produtos por semana, e a média de preço varia entre R$ 2,50 e R$ 8 o quilo. O faturamento dos agricultores é de cerca de R$ 2 mil por mês. Três vezes por semana, os produtos são comercializados em diferentes pontos do Distrito Federal. 

De acordo com o subsecretário de Agricultura Familiar da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), Everton Augusto Ferreira, no Brasil existem mais de 40 mil agricultores assistidos com políticas de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para a produção agroecológica e orgânica. 

Devido aos métodos de cultivo, como os espaços em áreas territoriais menores e diversificadas, uso da mão de obra familiar mais intensiva, produtos alternativos e ausência de pulverizações em larga escala, a produção orgânica é uma atividade propícia à agricultura familiar e pode render vantagens de mercado, de acordo com Everton Ferreira. “Por conta de uma maior conscientização e divulgação, há um aumento considerável da demanda da sociedade em torno desse tipo de produto. E nesse sentido vem crescendo também a oferta. Mais agricultores familiares optam por essa forma de produzir”, explica. Além de desenvolver ações e coordenar o Plano Nacional de Produção Orgânica e Agroecologia (Planapo), a Sead oferece políticas de acesso ao crédito com redução de juros e atua fomentando a capacitação e qualidade de vida dos agricultores familiares que desenvolvem esse tipo de cultura. 

Serviço
Os produtos da Coopafama são vendidos em oito feiras no DF em diferentes dias da semana, incluindo a que acontece na UnB e na 505 Norte. Os cooperados fazem ainda entregas diretamente para o consumidor por pedidos presenciais e/ou pelo telefone (61) 99904-3559.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink