Cooperativas do Paraná mantêm faturamento de 2005

Agronegócio

Cooperativas do Paraná mantêm faturamento de 2005

As cooperativas fecharam o ano com faturamento de R$ 16,5 bilhões
Por: -Redação
1 acessos

A posição desfavorável do câmbio, com o real ainda supervalorizado frente à moeda americana, problemas climáticos, como a falta de chuvas no início do plantio de verão e geadas fortes, em algumas regiões, que atingiram a produtividade da safra de inverno, foram decisivos para que o sistema cooperativista mantivesse o mesmo faturamento do ano anterior, ou seja, R$ 16,5 bilhões. A quebra das safras de verão de 2005 e de 2006, somada a da safra de inverno de 2006, foram responsáveis por uma perda de 13 milhões de toneladas de grãos, equivalente a R$ 4 bilhões de reais.

Para o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, a crise exigiu das cooperativas brasileiras e, em especial da Ocepar, um trabalho constante na busca de alternativas para o endividamento rural e a viabilidade na venda das safras. “Na defesa dos interesses das cooperativas e de seus associados, o Sistema Ocepar, juntamente com outras entidades, trabalhou por soluções para o grave problema.

Segundo Koslovski, as negociações junto ao governo, desde janeiro de 2006, permitiram aos cooperados a prorrogação do pagamento da parcela das dívidas de crédito rural da safra 2004/05, que venceram em 2005 e parte das dívidas de custeio da safra 2005/06. Também foi permitida a renegociação da parcela das dívidas de investimento que venceu em 2006.

O governo permitiu, ainda, o refinanciamento das parcelas das dívidas do Plano Especial de Saneamento de Ativos – PESA, da Securitização e do Programa de Revitalização das Cooperativas Agropecuárias - Recoop vencidas em 2005 e vencidas e/ou vincendas em 2006. “Para os produtores rurais que tinham dívidas junto aos fornecedores de insumos, o governo criou uma linha de crédito para que os mesmos renegociassem seus débitos para pagamento em até cinco anos”, relata. “Mas, a incerteza somente desaparecerá quando o governo implementar as medidas estruturantes reivindicadas pelos produtores brasileiros”, prossegue.

De acordo com o dirigente, o presidente Lula, pessoalmente, atendeu parte das reivindicações do setor, depois de reunião que aconteceu em agosto deste ano, na cidade de Foz do Iguaçu, quando foram apresentados, por lideranças da Ocepar, OCB e cooperativas do Paraná, os principais pleitos dos diversos ramos cooperativistas. “Daquela pauta, muitas reivindicações foram atendidas de forma plena ou parcial e outras estão sendo negociadas. No Congresso Nacional, o trabalho de negociação foi intenso e o apoio dos 235 parlamentares que compõem a Frente Parlamentar Cooperativista (Frencoop) mostrou-se imprescindível para que fossem solucionadas inúmeras questões e pendências”. As informações são da assessoria de imprensa da Ocepar.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink