COP25 em Madri recebe delegação do setor sucroenergético

COP25

COP25 em Madri recebe delegação do setor sucroenergético

A cana-de-açúcar é a principal fonte de energia renovável no Brasil
Por:
304 acessos

As soluções do setor para a transição energética global serão apresentadas pela União da Industria de Cana-de-Açúcar (UNICA) na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25), que acontece de 2 a 13 de dezembro, em Madri, Espanha. A delegação da UNICA será composta por Evandro Gussi, presidente, Emily Rees, representante da instituição em Bruxelas, Renata Camargo, especialista em sustentabilidade, e Renata Meliga, relações públicas. A participação da UNICA faz parte do projeto setorial com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Os executivos vão levar informações sobre o setor sucroenergético para a Conferência, ressaltando os produtos e serviços de descarbonização da matriz energética brasileira promovidos pela indústria. A cana-de-açúcar é a principal fonte de energia renovável no Brasil, com 17,4% da participação na matriz. “Oferecemos à população um biocombustível, o etanol, que reduz em 90% a emissão de dióxido de carbono em comparação com a gasolina, e a eletricidade de biomassa, que também é fonte de energia limpa e renovável. Trata-se de soluções que podem ser adotadas em outros mercados e é essa informação que queremos disseminar”, explica Gussi.  

No dia 10 de dezembro, será realizado o “Brazil Day by Unica" na COP, oferecido pela Embaixada Brasileira em Madri e a UNICA, e promovido pela Apex-Brasil, com a presença do embaixador Pompeu Andreucci Neto, autoridades e representantes de governo internacionais, diplomatas e setor privado. Na ocasião, será apresentada a temática “Bring back my blue sky”, que será trabalhada pela UNICA em mercados prioritários em 2020, como Índia e China. 

“Quando olhamos para grandes cidades, como Rio de Janeiro e São Paulo, nos perguntamos: por que elas não apresentam os problemas de qualidade do ar de outras grandes capitais internacionais? Essas metrópoles diferenciam-se porque temos 27% de etanol na gasolina e a possibilidade de utilizar 100% de etanol”, aponta Gussi. 

No mesmo dia 10 de dezembro,  a CETESB - Companhia Ambiental do Estado de São Paulo - promoverá um evento em Madri, para apresentar o Acordo do Estado de São Paulo, que tem o objetivo de incentivar empresas que atuam no estado a assumirem compromissos voluntários de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa (GEE) e promoverem ações de sustentabilidade, a fim de conter o aquecimento global e atender as metas do Acordo de Paris. Diversas empresas do setor sucroenergético são signatárias do acordo. 

Também será realizada a adesão ao Pacto Global ONU, que estabelece dez princípios universais nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção. Na ocasião, com data a ser definida, também será divulgado um acompanhamento sobre as contribuições do setor sucroenegético para a agenda dos Objetivos de Desenvolivmento Sustentáveis (ODS) da ONU.  

Projeto

A Apex-Brasil e a UNICA tornaram pública em fevereiro de 2008 uma estratégia para promover a imagem dos produtos sucroenergéticos no exterior, em especial do etanol brasileiro como uma energia limpa e renovável. As duas entidades assinaram um convênio que prevê investimentos compartilhados. O projeto pretende influenciar o processo de construção de imagem do etanol e demais derivados da cana junto aos principais formadores de opinião mundial – governos e meios de comunicação, bem como empresas de trading, potenciais investidores e importadores, ONGs e consumidores. 


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink