Coreia do Sul amplia vacinação e importará vacinas contra aftosa

Agronegócio

Coreia do Sul amplia vacinação e importará vacinas contra aftosa

A Coreia do Sul já vacinou 1,2 milhão de animais contra febre aftosa desde novembro
Por: -Por Cho Mee-young
1069 acessos
SEUL (Reuters) - A Coreia do Sul expandirá a vacinação contra febre aftosa para todo o país e importará mais vacinas, informou na quarta-feira o Ministério da Agricultura, citando o encontro de emergência para conter a rápida expansão da doença, que atinge principalmente porcos e bovinos.

A Coreia do Sul já vacinou 1,2 milhão de animais contra febre aftosa desde novembro em oito das 16 províncias do país, e agora planeja ampliar a vacinação para todo o país, exceto Jeju Island.

"O encontro de hoje (terça-feira) reviu as medidas e decidiu fortalecer medidas preventivas", disse o Ministério da Agricultura em comunicado.

O governo pode importar vacinas além do volume já adquirido ou contratado para cobrir 11 milhões de animais do rebanho. Antes do surto, a Coreia do Sul tinha estoques de 300 mil doses.

O país, que é a quarta maior economia da Ásia, já abateu mais de 10 por cento dos rebanhos de suínos e gado na tentativa de conter o surto, resultando em um aumento expressivo nos preços de carnes e puxando a inflação.

A Coreia do Sul disse oficialmente que o país não tem planos de elevar compras por ora ou reduzir as tarifas de importação.

Os Estados Unidos são os principais exportadores de frangos e carne suína para a Coreia do Sul e o segundo maior em carne bovina, depois da Austrália.

A Coreia do Sul impõe tarifa de cerca de 40 por cento nas importações de carne bovina e de aproximadamente 25 por cento para a carne suína.

GRIPE AVIÁRIA

A Coreia do Sul também está lutando contra um surto de gripe aviária, elevando o nível de alerta para "atenção", depois de detectar o vírus H5N1 em granjas de quatro províncias.

Há 34 casos suspeitos de gripe aviária, com 16 confirmados, informou o ministério.

As autoridades já abateram 470 mil frangos, ou 0,4 por cento do estoque doméstico, disse uma autoridade do ministério nesta quarta-feira. Áreas afetadas estão em quarentena.

(Reportagem adicional de Park Jung-yeon, Chang Yeo-jung e Yerim Kim)
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink