Couros Bom Retiro ingressa na Certificação de Sustentabilidade do Couro Brasileiro (CSCB)

Agronegócio

Couros Bom Retiro ingressa na Certificação de Sustentabilidade do Couro Brasileiro (CSCB)

A empresa Couros Bom Retiro - CBR é a mais nova integrante do programa de Certificação de Sustentabilidade do Couro Brasileiro (CSCB).
Por:
335 acessos

A empresa Couros Bom Retiro - CBR é a mais nova integrante do programa de Certificação de Sustentabilidade do Couro Brasileiro (CSCB). Com capacidade para produzir até 10 mil peles por dia em seis plantas no Brasil e uma na Argentina, a indústria passa agora a integrar o programa composto por 173 indicadores em critérios como consumo de água e energia, substâncias restritas, desempenho produtivo, gerenciamento de resíduos e relação com colaboradores. O CSCB é promovido pelo Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), com o apoio do Brazilian Leather, projeto de estímulo às exportações de couros e peles brasileiras desenvolvido pelo CICB em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Gilmar Harth, diretor da empresa, destaca que um dos diferenciais do CSCB é o método pelo qual foi construído, “feito pela indústria para a indústria”, uma vez que a certificação foi elaborada com a contribuição de curtumes, indústrias de calçados e outras que utilizam o couro como matéria-prima, além de institutos de tecnologia, governos e universidades. “Assim, foram abrangidos os aspectos fundamentais para uma produção sustentável e responsável, fortalecendo desta forma o elo com o cliente”, disse.

O empresário menciona que a sustentabilidade tem sido cada vez mais relevante no mercado mundial do couro, com impacto importante sobre a decisão de importadores. “Clientes internacionais buscam cada vez mais comprar produtos de empresas certificadas. Com o CSCB, esperamos atingir a excelência nos processos e garantir ainda mais ao nosso cliente que nossos produtos são oriundos de uma produção com consciência social, econômica e sustentável”, prevê Harth.

Para chegar à certificação, cada curtume precisa passar por uma etapa de consultoria, em que são trabalhados os 173 indicadores elaborados a partir de uma Comissão de Estudos Especial criada no âmbito da ABNT. A partir daí, a empresa pode solicitar auditoria de um organismo acreditado pelo Inmetro para a cerificação. Há quatro níveis do selo: Bronze (para quem atender até 50% dos indicadores aplicáveis de cada uma das quatro dimensões da certificação), Prata (75%), Ouro (90%) e Diamante (100%).


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink