CPLA incentiva melhoria na pecuária leiteira da agricultura familiar

Agricultura familiar

CPLA incentiva melhoria na pecuária leiteira da agricultura familiar

Continuar investindo para melhorar as condições de produção para os pequenos produtores de leite do Estado
Por:
184 acessos

Continuar investindo para melhorar as condições de produção para os pequenos produtores de leite do Estado. Isso faz parte do projeto da Cooperativa de Produção Leiteira de Alagoas (CPLA).  A proposta é conseguir aumentar a produção dos agricultores familiares, dando condições de subsistência.

“Estamos investindo em melhoramento genético, técnicas do manejo da pecuária leiteira e buscando espaços para que esse produtor tenha como comercializar. Isso é uma forma de melhorar a vida social do produtor”, destaca o presidente da CPLA, Aldemar Monteiro.

Os números mundiais ligados à agricultura familiar, segundo  a plataforma Global Dairy em 2017, só o setor leiteiro conta com 133 milhões de propriedades em todo o mundo e mais de 600 milhões de pessoas vivendo nelas. São cerca de 99,7% de propriedades que produzem com menos de 100 animais. Os dados apontam a importância da agricultura familiar na produção mundial.

Em Alagoas, através da CPLA, são mais de 2 mil pequenos produtores de leite produzindo. Nas propriedades onde a cooperativa realizou uma pesquisa de acompanhamento de produção, os pequenos produtores chegam a ter, em média, 20 animais, entre bezerros, bezerras e vacas e apenas cinco em produção. A estimativa é de que a agricultura familiar alagoana chegue a produzir cerca de 150 mil litros de leite por dia.

“Esse números ainda são baixos para a agricultura familiar. A média de produção por animal chega a 22 litros de leite na pecuária brasileira. No Nordeste, cai para 14 litros. Quando se fala em agricultura familiar, esse número baixa ainda mais, chegando até 9 litros produzidos por dia”, explica o presidente da cooperativa.

A falta de espaços para comercialização também é um dos fatores que prejudica o fomento à agricultura familiar. “A saída estratégica é buscar novos espaços de comercialização para dar segurança a esses pequenos produtores. Hoje eles não conseguem dobrar a produção porque não tem a quem comercializar. O Plano de Negócios da UBL de Batalha tem esse foco. O local precisa funcionar para garantir a melhoria de vida para o produtor”, atenta Aldemar Monteiro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink