CPLA vai ampliar Programa Balde Cheio em Alagoas

Agronegócio

CPLA vai ampliar Programa Balde Cheio em Alagoas

Esse projeto que visa o maior rendimento e trabalha a auto-estima do produtor vai ser ampliado a partir de janeiro em Alagoas
Por:
1676 acessos
Otimizar o trabalho no campo e melhorar o rendimento da propriedade são alguns dos objetivos do Programa Balde Cheio, da Embrapa Pecuária Sudeste. E esse projeto que visa o maior rendimento e trabalha a auto-estima do produtor vai ser ampliado a partir de janeiro em Alagoas por iniciativa da Cooperativa da Produção Leiteira de Alagoas (CPLA).

Em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/AL) e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a CPLA já está selecionando técnicos para iniciar a capacitação dos extensionistas. E para reforçar a necessidade da implantação do Balde Cheio as entidades trouxeram a Alagoas o idealizador do programa, o engenheiro agrônomo e pesquisador, Artur Chinelato.

Durante toda esta terça-feira o técnico conversou com mais de 50 agricultores da região sertaneja do Estado, no município de Batalha. Na palestra foi exemplificado a aplicação do programa e como ele se desenvolve em diferentes regiões do Brasil. Hoje o ‘Balde Cheio’ já se encontra em 23 dos 27 estados brasileiros e em Alagoas cerca de 40 agricultores já aderiram ao programa.

O agricultor Antonio José Alves revelou que foi ao encontro em busca de informações e saiu esperançoso. “Sofremos muito na época da estiagem e parece que esse programa tem uma solução. Espero que haja assistência técnica para aplicar as medidas nas nossas propriedades. Trabalhamos muito duro e queremos uma vida melhor”, declarou.

Para o presidente da CPLA, Aldemar Monteiro, a ampliação do ‘Balde Cheio’ vai mudar a história de muitos produtores do sertão alagoano, principalmente aqueles que nunca foram assistidos. “É um programa que vai trazer desenvolvimento para cadeia leiteira e mexer com a auto-estima do produtor. Na palestra do Chinelato, ele mostra a importância do papel de cada agricultor no campo estimulando seu crescimento”, ressaltou.

Desde 1997 percorrendo o Brasil, o engenheiro agrônomo Artur Chinelato informou que mais de 500 municípios já adotam as lições do programa e que mais de 500 técnicos já foram capacitados. O projeto funciona da seguinte forma: a Embrapa qualifica um extensionista que difunde o treinamento para os agricultores da região. “Provamos que esse programa dá certo, que a produção de leite extensiva sustentável é o viés para o crescimento do setor. Afinal são 13 anos percorrendo o Brasil”, afirmou.

O técnico também ministrará uma palestra na próxima quinta-feira, dia 28, durante o Seminário para Produtores de Leite e Derivados (Proleite), que acontece na Expoagro 2010.
 
As informações são da assessoria de imprensa da Cooperativa da Produção Leiteira de Alagoas (CPLA).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink