Cresce produtividade de grãos nas lavouras de SC
CI
Agronegócio

Cresce produtividade de grãos nas lavouras de SC

Em lavouras mecanizadas, o milho já está rendendo 150 sacas por hectare
Por:

Apesar da ótima perspectiva para as carnes catarinenses, o setor agrícola não está otimista apenas por conta da certificação da OIE. A agricultura catarinense também deve ter um bom ano para a safra de grãos.

Esta é a aposta de José Zeferino Pedrozo e Enori Barbieri, respectivamente, presidente e vice-presidente da Faesc, que nesta sexta-feira (09-03) serão reconduzidos aos cargos, em eleição de chapa única no encontro anual da federação, realizado na Praia dos Ingleses, em Florianópolis (SC).

Além da boa safra de milho e soja, estimada para 2007, o Estado comemora o aumento da produtividade de grãos, que atingiu o maior índice de sua história. Em lavouras mecanizadas, o milho já está rendendo 150 sacas por hectare, um patamar atingido apenas pelos norte-americanos.

"É o início de uma lenta recuperação. Seria um ano para ganhar dinheiro se o dólar não estivesse tão baixo. Mas toda a cadeia começa a ser beneficiada. Apesar de ainda haver um estoque de dívidas, muitos produtores já estão conseguindo quitar seus débitos e com isso as cooperativas começaram a receber", disse Barbieri.

Segundo ele, até os produtores estão assustados com os bons preços do milho, cuja saca de 60 quilos está custando R$ 19, contra R$ 13 no ano passado. A soja está com preço de R$ 30 este ano. Mas Barbieri alertou que os preços altos são decorrência do investimento em bolsa.

Feijão e arroz não têm o mesmo desempenho

"Os investidores mundiais que colocavam 2% no agronegócio, agora estão aplicando 10%. Tem que vender enquanto está bom para não perder depois", sugeriu Barbieri.

Os únicos produtos que não acompanham esta boa onda para o agronegócio, segundo os dirigentes da Faesc, são o arroz e o feijão. O arroz por conta de problemas de venda e o feijão, porque o Brasil consome três milhões de toneladas e produz 3,5 milhões, o que derruba o preço. Hoje, a saca de 60 quilos custa cerca de R$ 50 e este valor sequer cobre os gastos de produção.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink