Criadores de suínos e aves de SC param por falta de lucro

Agronegócio

Criadores de suínos e aves de SC param por falta de lucro

Se a remuneração continuar baixa, os criadores devem parar com as atividades
Por: -Redação
5 acessos

Santa Catarina é reconhecido um Estado pioneiro na produção de suínos e aves. Mas, se a remuneração continuar tão baixa, será um dos primeiros a parar com estas atividades, segundo o produtor Eldir Taufer, de Chapecó.

Ele tem 130 matrizes de suínos e entrega 230 a 250 animais por mês. Neste ano, chegou a amargar prejuízo de R$ 12,3 mil em apenas dois meses, quando o quilo estava a R$ 1,20. Nos últimos meses, quando foi a R$ 1,60, conseguiu equilibrar as contas. Só que o custo aumentou e novamente a atividade está dando prejuízo.

Taufer também está com dois aviários parados há quatro meses. Um deles tem apenas três anos e uma estrutura avaliada em R$ 130 mil. A paralisação na produção foi ocasionada por exigências de melhorias sanitárias, que iriam consumir em torno de R$ 90 mil. Ele calculou que, em aplicações financeiras, tiraria em torno de R$ 1 mil por mês.

Produzindo, conseguiria R$ 3 a R$ 4 mil a cada dois meses. Só que, com as despesas de R$ 800 para o tratador, R$ 380 para carregar, R$ 350 com lena, R$ 250 com energia elétrica e gastos com manutenção, sobra menos do que colocar o dinheiro a juros.

Última tentativa antes do abandono

"Quando comecei, um aviário se pagava em dois anos". Agora, Taufer disse que o que sobra não chega para a manutenção da estrutura. Ele deve alojar novamente um lote de aves a partir da semana que vem. É o último teste. Caso contrário, vai abandonar a atividade. Taufer disse que a tendência das empresas é investir mais no Centro-Oeste, abandonando os produtores em Santa Catarina. Na semana passada, o Sindicato dos Criadores de Aves de Santa Catarina (Sincravesc), fez uma assembléia em Chapecó onde tirou algumas deliberações para negociar com as agroindústrias. Um dos pedidos é a remuneração de R$ 0,40 por quilo de ave entregue.

De acordo com o vice-presidente da entidade, Mauro Zandavalli, atualmente os produtores recebem entre R$ 0,15 e R$ 0,20 por ave entregue, com até três quilos de peso. Zandavalli disse que entre 60 e 80 aviários estão parados na região de Chapecó, pois os avicultores não estão tendo retorno na atividade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink