Agronegócio

Crise na agricultura provoca desemprego no Paraná

Os efeitos da crise nos últimos três anos se multiplicaram em municípios como Maringá
Por: -Redação
2 acessos

Os efeitos da crise agrícola nos últimos três anos se multiplicaram em municípios como Maringá, no Norte do Paraná. Um estudo realizado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) mostra o baixo preço da soja nos últimos anos e a redução da atividade agrícola tiveram reflexo em outros setores, como construção civil, comércio e serviços.

O estudo mostra que nas safras 2004/05 e 2005/06 deixaram de circular R$ 113,5 milhões na economia da região de Maringá. O economista Juliano Ricardo Alves Rodrigues, da UEM, diz que deixaram de ser criados 19,5 mil empregos no período. O levantamento demonstra ainda que o volume de postos de trabalho gerados no primeiro semestre de 2006 foi o menor desde 2001. O setor de comércio criou 139 vagas, contra 922 no mesmo período de 2005. Na mesma base de comparação, o número caiu de 1.151 para 741 na indústria de transformação e de 1.501 para 951 no setor de serviços, de acordo com o professor Joilson Dias, que coordenou a pesquisa.

As vendas do comércio também sentem os efeitos do campo. O movimento de consultas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) caiu 17% em relação ao Natal de 2005. O número de inadimplentes cresceu em 2006: 29,94% contra o aumento de 20% no de exclusões.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink