CTNBio nega dificuldades com lavouras

Agronegócio

CTNBio nega dificuldades com lavouras

O espaçamento de cem metros entre lavouras de milho OGM e não OGM é suficiente para assegurar a coexistência das lavouras
Por:
442 acessos
O presidente da CTNBio, Walter Colli, disse ontem que não existem ainda evidências sobre a contaminação de milho convencional por pólen de plantas transgênicas.

Em entrevista à Folha, ele sustentou que o espaçamento mínimo de cem metros entre lavouras de milho OGM e não OGM é suficiente para assegurar a coexistência das lavouras. "O risco de contaminação é menor do que 0,9%", afirmou Colli.

Ele disse que a fiscalização sobre o cumprimento das regras de plantio é atribuição do Ministério da Agricultura, não da CTNBio. Afirmou não acreditar numa revogação das licenças pelo Conselho de Biossegurança.

A Monsanto, detentora de tecnologia OGM para milho, diz que as regras da comissão para o plantio asseguram a convivência entre as variedades.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink