Curso sobre qualidade do leite começa na próxima semana


Agronegócio

Curso sobre qualidade do leite começa na próxima semana

Por:
2 acessos

A Embrapa (Transferência de Tecnologia e Arroz e Feijão), unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e a Agencia Rural (ex-Emater/GO) promovem entre 22 e 25 de abril, das 14h às 17h, palestras sobre o tema qualidade do leite. O evento, aberto a técnicos, produtores e demais interessados, integra a 3ª. Expo Embrapa, realizada em Goiânia/GO, às margens da BR-153, quilômetro 04, saída para Anápolis/GO.

De acordo com o pesquisador da Embrapa Gado de Leite, Paulo Moreira, a questão da qualidade do leite não envolve apenas os aspectos de higiene e de sanidade, relacionados à obtenção do produto na propriedade rural e sua manipulação industrial. Trata-se de um assunto que abrange essencialmente os hábitos das pessoas. "É corrente a idéia de que o leite in natura é melhor que o leite processado, ou que o queijo da fazenda é mais gostoso que o industrializado", argumenta Paulo.

Um fator adicional que nivela por baixo a qualidade do leite no país é o grau de exigência dos consumidores. "Seja pela falta de informação ou pelo preço mais barato, as pessoas ainda preferem levar para casa um produto de origem duvidosa a um alimento padronizado", diz o pesquisador. Esse tipo de comportamento contribui para que boa parte dos 21 bilhões de litros de leite produzidos anualmente no Brasil fiquem de fora do processo formal de produção.

Paulo afirma que a falta de conscientização do consumidor traz como principal conseqüência a lentidão na modernização da cadeia produtiva láctea. "Cria-se uma competição desigual que desestimula o pecuarista a investir em qualidade" explica. Outros desdobramentos negativos são a sonegação de impostos e a ausência de um sistema de rastreabilidade de produtos.

O pesquisador defende a idéia da promoção de uma campanha de esclarecimento para mudar a percepção dos consumidores. Deve haver também a continuidade do trabalho de assistência técnica ao produtor, a fim de garantir a higiene na ordenha, no armazenamento e na sanidade do rebanho. Já o poder fiscalizador, incluindo serviços de inspeção de produtos de origem animal e órgãos de vigilância sanitária, deve ser fortalecido para o monitoramento das atividades industriais e do comércio varejista. Paulo acredita que o tema da qualidade do leite deva envolver ainda a elevação do nível educacional da população, o aumento e a distribuição de renda e o exercício da cidadania. "Embora essas questões só apresentem resultado a longo prazo, são também imprescindíveis", diz.

Problemas à Saúde - Embora rico em proteína, gordura, carboidratos, sais minerais e vitaminas, o leite é um excelente meio para o desenvolvimento de microrganismos causadores de enfermidades, portanto a preocupação com a qualidade é primordial, segundo Paulo. Ele cita que uma das doenças mais graves transmitidas pelo leite e seus derivados é a brucelose. Causada por bactéria, ela acomete o organismo humano através da ingestão do produto não fervido ou não pasteurizado. A doença provoca febre, lesões nas articulações e na pele e inflamação dos testículos. O meio mais adequado para combater o mal é a vacinação aplicada somente uma vez em bezerras com idade entre três e oito meses de idade.

Outro alerta feito por Paulo é a possibilidade do leite conter substâncias químicas nocivas à saúde. "Pode haver a contaminação do produto por pesticidas, aplicados para matar carrapatos ou moscas", afirma. Além disso, uma preocupação constante sobre a qualidade do leite é a presença de resíduos de antibióticos, utilizados para o tratamento da mastite, doença bastante comum, caracterizada pela inflamação do úbere da vaca.

Serviço Evento: Palestras Sobre Qualidade do Leite / Data: 22 a 25 de abril/ Horário: das 14h às 17h / Local: Escritório de Negócios da Embrapa em Goiânia (BR-153, km 04, próximo à Ceasa). Participações: Pesquisadores da Embrapa Gado de Leite - de Juiz de Fora/MG, Paulo Moreira e Fabio Homero Diniz; e da Epamig, Nelson Tenchini de Macedo. Informações: (62) 202-6000.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink