Cursos levam capacitação aos criadores de abelhas gaúchos

Agronegócio

Cursos levam capacitação aos criadores de abelhas gaúchos

Por:
165 acessos

Criadores de abelha de Pelotas, no Rio Grande do Sul, participam de cursos de aprimoramento no manejo das colméias. O problema na região é a falta de capacitação tanto dos novos produtores quanto dos mais antigos.

A saída para a falta de capacitação é a busca de conhecimento. E isto começa com a teoria. Em Pelotas, até os apicultores mais experientes voltaram para a sala de aula. O seu Jones Mulling trabalha com abelhas há mais de 20 anos e disse que quer aprender ainda mais. "Eu não tinha muita noção do que era a troca de rainha para a melhor produção de mel. Fiz esse curso e aprendi o que ainda não tava sabendo", falou.

O primeiro passo é prestar atenção na proteção. Roupas, luvas e botas são indispensáveis no manejo. Mas antes de abrir as caixas não da para esquecer da fumaça, um elemento importante.

“Ele vai se aproximar já usando a fumaça e vai aguardar. Algumas abelhas vão encher o papo de mel, o que dificulta a ferroada”, explicou o professor.

E todo este cuidado não é em vão. Em cada caixa, nesta época do ano, chegam a ter 30 mil abelhas. Na primavera, que é época de floração, o número pode chegar a 80 mil. É preciso prestar atenção. Há muitos segredos.

"O manejo deve ser adequado. Outra coisa que deve ser feita é a substituição dos favos, com rainha nova, favos novos e colmeia limpa, livre de doenças. É isso que a gente tem que observar no manejo", orientou o professor.

A capacitação é importante, mas os produtores enfrentam o baixo preço pago pelo mel. O agricultor acredita que um selo de certificação da qualidade do produto poderia ampliar as vendas. “Se unir todos os apicultores juntos e padronizar para fazer um mel puro, com selo de qualidade, garanto que o consumidor terá maior aceitação”, disse Tiago Camielato.

Uma cooperativa de apicultores se reúne para achar uma solução. A dica para o consumidor é que o mel puro cristaliza sempre. Mas, antes disso, basta virar o pote de cabeça para baixo. Quando é puro o mel forma apenas uma bolha dentro do pote. Então, é só levar para casa e saborear da maneira que preferir.

Os cursos são realizados durante todo ano. Conforme vão surgindo interessados novas turmas são formadas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink