Custo do plantio sobe mais que a inflação em Santa Catarina
CI
Agronegócio

Custo do plantio sobe mais que a inflação em Santa Catarina

Por:

Os custos de produção para a safra 2003/04, que em Santa Catarina aproxima-se da fase final de plantio, subiram acima da inflação ao longo do último ano, segundo levantamento realizado pelo Instituto de Planejamento e Economia Agricola de Santa Catarina (Icepa). O índice de preços ao consumidor ampliado (IPCA) nos 12 meses encerrados em outubro teve uma alta de 13,98%. O preço médio da saca de 50 quilos de semente de arroz irrigado, o ítem que teve a maior alta no período, subiu 62,9%.

Mesmos assim, os agricultores seguem otimistas e prevêem boa rentabilidade quando começarem a colher os grãos no primeiro semestre de 2004, especialmente na cultura da soja. No caso do milho, principal cereal produzido no estado, também há otimismo, mas em menor grau. O clima favorável até aqui é outro fator que anima os agricultores.

Relativamente a outubro do ano passado, a maior parte dos herbicidas registrou alta acima de 20% e o Gramoxone, um dos mais usados, 31,6%. Os inseticidas seguiram a mesma tendência, com a maior elevação sendo observada no Ridomi/Mancozeb, que aumentou 35,7%. Embora com peso menor no custo total de produção, as sementes registraram altas ainda maiores em termos percentuais. As de milho, por exemplo, chegaram a aumentar até 40,5%.

O analista Ilmar Borchardt, do Icepa, explica que no caso das sementes a alta acompanha a elevação dos preços dos produtos agrícolas, enquanto que nos demais insumos reflete a variação cambial, do segundo semestre do ano passado, que fez os preços dos insumos subirem até o começo deste ano. "Grande parte dos insumos é importada e, por isso, influenciada pela cotação da moeda norte-americana", explica. A retração do dólar não chegou aos agricultores. No período, segundo o Banco Central (BC), a cotação da moeda norte-americana despencou 21,64%.

Considerando o conjunto de insumos, o custo de produzir milho subiu 20,57% por hectare, para R$ 765,54 quando empregada alta tecnologia e 23,18%, para R$ 340,56, usando baixa tecnologia. Ampliando a análise para o total dos custos de produção de milho, o valor por hectare subiu 23,62%, para R$ 1.515,75, com alta tecnologia, e 14,12%, para R$ 808,32 com baixo nível tecnológico.

"A gente sente a alta, principalmente dos herbicidas e fungicidas. Mas esperamos bom preço nos produtos, em função da alta demanda e dos baixos estoques internacionais de soja. E isso afeta todo o resto. A dúvida é o feijão" diz o agricultor Márcio Wagner, de Campos Novos. Neste ano ele plantou 460 hectares de soja, 208 de milho e 70 de feijão. "Há produtores que já fecharam contratos antecipados de venda da soja com preços de US$ 13 (R$ 38,16) por saca. No caso do milho e do feijão há temor sobre o como vão se comportar os preços", diz o engenheiro agrônomo Marcelo Luiz Capelari, da Cooperativa Regional Agropecuária de Campos Novos.

Um dos que já fecharam contrato de venda para soja é Olices Stefani, de Abelardo Luz, que nesta safra espera colher 50 mil sacas de soja em 900 hectares. Neste ano ele reduziu a área de milho dos 700 hectares da safra passada para 200 hectares e priorizou a soja em função dos preços mais promissores."Contratei 30% da minha produção por US$ 16 (R$ 46,96) a saca, com certificado de não transgenia, colocada em Paranaguá".

O analista Simão Brugnago Neto, do Icepa, lembra que uma série de fatores ainda vai afetar a oferta e, por conseqüência, os preços na hora de comercializar a próxima safra, a começar pelo clima e pelo desempenho das lavouras em outras regiões produtoras. "O preço da soja, hoje em R$ 45,50, deve cair um pouco, mas tende a ser melhor do que no primeiro semestre de 2002 e 2003".

Evolução de preços de insumos agrícolas:

Nos 12 meses encerrados em outubro, o IPCA (inflação oficial), medido pelo IBGE, teve uma variação de 13,98%. Veja como variaram alguns dos principais insumos usados pelos agricultores catarinenses

Calcário ensacado - tonelada

Outubro 2002R$ 55,93

Outubro 2003R$ 69,10

Variação: 23,6%

Furadan (inseticida) - litro

Outubro 2002R$ 52,93

Outubro 2003R$ 62,74

Variação:18,5%

Roundup (herbicida) - litro

Outubro 2002R$ 11,61

Outubro 2003R$ 14,56

Variação: 25,4%

Sementes de arroz irrigado - saco 50 quilos

Outubro 2002R$ 39,00

Outubro 2003R$ 63,52

Variação: 62,9%

Sementes de milho duplo- saco 50 quilos

Outubro 2002R$ 59,89

Outubro 2003 R$ 84,16

Variação: 40,5%

Uréia - saco de 50 quilos

Outubro 2002R$ 32,38

Outubro 2003R$ 40,64

Variação: 25,5%

Fonte: Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina (Icepa)


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink