Agronegócio

Cutrale planta mais laranja para suprir déficit da Flórida

O grupo vai ampliar o plantio no Triângulo Mineiro e no Centro-Sul de São Paulo
Por: -Gustavo Porto
114 acessos

A Cutrale, maior produtora mundial de suco de laranja, vai ampliar o plantio no Triângulo Mineiro e no Centro-Sul do Estado de São Paulo para suprir o déficit causado pela quebra na produção de laranja na Flórida (EUA).

Estima-se que, no curto prazo, a quebra na safra do Estado norte-americano, segundo maior produtor mundial, seja de 50 milhões de caixas de 40,8 quilos por safra, em decorrência de vários fatores sanitários e climáticos.

“Esse déficit só vai ser coberto pelo Brasil e uma das metas da Cutrale para 2007 é ampliar a produção de laranja aqui”, disse o diretor-financeiro e administrativo da empresa, José Luiz Cervato.

A produção da Flórida, conforme estimativa divulgada na sexta-feira (12-01) pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), deve ser de 140 milhões de caixas na safra 2006/07, mas já superou 200 milhões de caixas em outras safras.

Como a Cutrale também produz suco na Flórida, as novas áreas de plantio servirão para suprir também a quebra da produção nas unidades norte-americanas.

Em Minas Gerais, a Cutrale vai aumentar o cultivo de laranja entre as cidades de Frutai e Prata por meio de um projeto de irrigação com suporte do Estado. “O governo mineiro tem boa infra-estrutura para levar energia elétrica à região e será possível utilizar essa facilidade para irrigação no projeto”, explicou Cervato, sem revelar números da área plantada. “Mas é claro que não iremos suprir sozinhos essa demanda da Flórida”, observou.

O plantio de novas áreas no Triângulo Mineiro sem irrigação tornou-se inviável após o surgimento da morte súbita dos citros, em 2002. A doença praticamente acabou com pomares cujos porta-enxerto (variedade cítrica que é base da planta) era o limão-cravo.

Em São Paulo, a região escolhida pela Cutrale para ampliar o plantio é entre as cidades de Botucatu, Avaré e Marília, no limite sul do chamado parque comercial citrícola, região que fornece praticamente toda a fruta utilizada na produção de suco no País. A maior parte da laranja produzida nessa nova área deve ser processada na unidade de Itápolis e a da região mineira em Colina, duas das cinco fábricas que a empresa tem em São Paulo.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink