Decisão da OMC sobre açúcar causa pânico na Europa

Agronegócio

Decisão da OMC sobre açúcar causa pânico na Europa

A decisão da OMC provocou pânico entre os produtores europeus, segundo jornal francês "Libération"
Por:
2 acessos

A decisão da OMC (Organização Mundial do Comércio) desta semana que declarou serem ilegais os subsídios à produção de açúcar na Europa provocou pânico entre os produtores, diz a edição desta sexta-feira (29-04) do jornal francês "Libération".

"Um vento de pânico soprou ontem à noite em Paris na sede da próspera Confederação Geral Francesa dos Plantadores de Beterraba (CGB) e também em Bruxelas", disse o diário francês.

Segundo o jornal, a decisão causou muita inquietação na CGB (sigla em francês para Confederação Geral Francesa dos Plantadores de Beterraba), que "já prevê o pior" para o setor produtor de açúcar na França, maior exportador europeu de açúcar.

"Esta decisão é totalmente incompreensível", disse ao diário francês o diretor-geral da CGB, Alain Jeanroy. "A produção irá cair 30%, uma dezena de produtoras de açúcar irão fechar e vamos perder, sem dúvida, 10 mil empregos diretos e indiretos na zona rural."

Os produtores franceses pretendem pressionar a União Européia a defender na OMC o restabelecimento dos subsídios ao açúcar como condição para facilitar o andamento da Rodada Doha de negociações para liberalização do comércio mundial.

Segundo reportagem de hoje no jornal americano "The New York Times", apesar de a OMC não ter atendido o pedido do Brasil, da Austrália e da Tailândia para que fosse estabelecido um prazo de 90 dias para que a União Européia se adequasse à decisão (o prazo dado foi de 15 meses), "o veredicto foi, no entanto, outra vitória do Brasil".

No mês passado, o Órgão de Solução de Disputas da OMC aceitou as decisões dos relatórios do corpo de apelação e do painel da organização sobre os subsídios dos EUA a seus produtores de algodão.

Ilegalidade:

A OMC (Organização Mundial de Comércio) confirmou ontem a ilegalidade dos subsídios oferecidos pela União Européia aos produtores de açúcar. A ação contra a UE foi movida pelo Brasil, Austrália e Tailândia.

Para a organização, a Europa não poderia exportar o açúcar subsidiado ainda que continuassem a ser permitidos os incentivos da produção que seria consumida internamente.

A UE havia apelado em janeiro deste ano contra decisão da OMC anunciada em agosto do ano passado, mas o comitê de apelações da OMC manteve decisão anterior do órgão que considerou que os subsídios aos exportadores de açúcar europeus ferem as regras internacionais de comércio.

O comissário de Comércio da União Européia, Peter Mandelson, afirmou que daria continuidade às reformas nas regras de subsídios ao açúcar. Ele não detalhou como serão feitas as reformas, mas garantiu que a proposta final deve ser enviada para análise dos Estados-membros da UE rapidamente.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink