Agronegócio

Definidas as propriedades de referência no Bioma Pampa

O projeto é uma parceria entre CNA e Embrapa
Por:
937 acessos
Depois de visitar várias propriedades durante quatro dias na região de Dom Pedrito - RS, com foco especificamente nas pastagens em solos derivados da Formação Teresina, a equipe do Projeto Biomas escolheu duas propriedades referências para as pesquisas no Pampa.


Uma das fazendas pertence ao produtor rural Valter Pötter, já parceiro do projeto. Ele cedeu uma área para receber os diversos experimentos com árvores, que serão implantados neste mês de outubro.  O produtor disponibiliza agora uma segunda propriedade, desta vez com pastagem nativa. “A vegetação encontrada nesta pastagem é bastante biodiversa o que atende os anseios de pesquisa do projeto”, comentam os pesquisadores.

Seu Valter sabe que  a sociedade atual exige sustentabilidade no campo. Além do alimento, é preciso saber preservar as áreas: “Participar do projeto cedendo uma área da propriedade, mesmo que por 10 ou 15 anos, é ajudar os pesquisadores para que eles encontrem respostas a perguntas que todos nós, produtores, temos nas questões ambientais”, afirma.


A segunda propriedade escolhida como de referência para o Bioma Pampa é a Estância Santa Anna, pertencente à família do seu Diego Torres. A área escolhida é constituída por pasto nativo e tem elevada diversidade herbácea.

Os pedólogos (especialistas em solo)  Dr. Gustavo Curcio, da Embrapa Florestas, e Dr. Carlos Alberto Flores, da Embrapa Clima Temperado, aprovaram as áreas no que se refere aos quesitos solos e geomorfologia, enquanto a aprovação sob o ponto de vista de riqueza herbácea foi feita pelo botânico Dr. Leonardo Paz Deble, professor da Universidade Federal do Pampa. “As propriedades, apesar de possuírem atividade de pastoreio, são perfeitas porque reúnem condições ideais, tanto em relação ao solo como à vegetação herbácea”, afirmou o biólogo.

Segundo Gustavo Curcio, coordenador do Projeto Biomas, as pesquisas comparativas entre as áreas com pastagens nativas e plantadas, permitirá estabelecer algumas relações interessantes, através das quais haverá a possibilidade de se obter coeficientes técnicos importantes no que se refere ao manejo sustentável das pastagens.


A próxima etapa de pesquisa nas propriedades referências incluirá estudos interativos de geomorfologia, solos e o componente herbáceo, partindo das partes mais altas das paisagens até as zonas de convergência hídrica. Pretende-se com isto auxiliar tecnicamente os produtores a conduzirem os seus sistemas de produção da forma mais coerente possível.

O Projeto Biomas

O projeto é uma parceria entre Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Os estudos são desenvolvidos nos seis biomas brasileiros: Pantanal, Pampa, Cerrado, Amazônia, Caatinga e Mata Atlântica. Os pesquisadores buscam soluções para a produção sustentável de alimentos, a partir da introdução da árvore nas propriedades rurais do Brasil. O Projeto Biomas tem o apoio do SEBRAE, Monsanto, John Deere e Vale Fertilizantes.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink