Demanda mundial por carne bovina pode alavancar leilões na Superagro

Agronegócio

Demanda mundial por carne bovina pode alavancar leilões na Superagro

Brasil ocupa a segunda posição no ranking, com 18,9% do rebanho mundial
Por: -Joana
2195 acessos
O mundo possui um rebanho de gado da ordem de 1,2 bilhão de cabeças. O Brasil ocupa a
segunda posição no ranking mundial, com 18,9% do volume, ficando atrás apenas da Índia
que responde por 28,7% deste montante. O país figura também na segunda colocação quando
o assunto é produção de carne bovina, sendo responsável por 16,6% de todo produto
produzido no mundo. Mas, quando se fala em exportação deste item, o Brasil é líder,
chegando a comercializar com outros países 7,4 milhões de toneladas, o que representa
24,4% de toda carne bovina exportada mundialmente.

Do rebanho bovino brasileiro, Minas Gerais detém 22,5 milhões de cabeças, o que
representa 11% de todo o rebanho nacional. O Estado ocupa a segunda posição em volume de
animais, figurando atrás apenas do Mato Groso. A representatividade mineira também é boa
no que diz respeito às exportações. Enquanto no primeiro trimestre deste ano o país
negociou US$ 1,2 bilhão, alta de US$ 200 milhões ante o mesmo período do ano anterior,
Minas gerou US$ 76,4 milhões, evolução de 18,7% ante os US$ 64,3 milhões do mesmo intervalo.

Segundo o superintendente de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Agricultura,
Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), João Ricardo Albanez, o volume de
negócios foi alavancado pela alta no valor da tonelada do alimento no mercado
internacional. “O preço da tonelada sofreu alta de 27% no primeiro trimestre deste ano
contra o mesmo intervalo em 2010. Esse índice foi elevado em função de uma maior demanda
por proteína animal e pela melhoria no poder aquisitivo dos países emergentes. A
tonelada da carne exportada por Minas Gerais saltou de US$ 3,6 mil para US$ 4,6 mil”,
explicou.

Os principais compradores internacionais da carne mineira foram a Rússia, respondendo
por 32,7% do total exportado; o Irã, com 22,3%; Israel, consumindo 10,4%, Hong Kong com
6,2%, Filipinas com 3,7% e 26 outros países somando os 24,7% restantes da carne mineira
destinada à exportação.

Mesmo com uma queda no volume exportado nacionalmente quando comparado aos três
primeiros meses do ano anterior - o montante sofreu redução de 12%, passando de 281,4
mil toneladas para 247,9 mil toneladas -, a alta nos preços alcançou o índice de 32%. De
acordo com Albanez, enquanto em 2010 o preço médio da tonelada negociada nacionalmente
foi de US$ 3,5 mil, no primeiro trimestre deste ano o valor chegou a US$ 6,6 mil,
comparou. “Acredito em um mercado favorável, com tendência para alta no consumo para o
próximo trimestre”, projetou o superintendente.

Leilões - Com o mercado aquecido, a Superagro Minas 2011 se insere neste cenário com a
realização de leilões das principais raças bovinas, como Brahman, Guzerá, Holandês e Gir
Leiteiro. No dia 28 de maio, às 20 horas, será realizado o Leilão Guzerá Villefort e
Convidados, onde serão apresentados 28 lotes de animais de qualidade. Segundo o
realizador do Leilão, Virgílio Villefort, as expectativas são boas e a estimativa é que
os negócios possam alcançar a cifra de R$ 1,5 milhão. “A raça mantém uma tendência de
crescimento contínuo. Além do fato de que o guzerá é uma das melhores, senão a melhor
raça para cruzamento com nelore, reforçando a qualidade do animal para corte”, explicou.

Outro arremate que será realizado pelo mesmo produtor é o Leilão Gir Leiteiro Villefort
e Convidados, que acontecerá no dia 04 de junho, às 21 horas, também no Expominas. De
acordo com Villefort, neste leilão também serão postos à venda 28 lotes. “A raça está em
franca expansão por causa da sua produção leiteira. O gir leiteiro é adaptável a regiões
nas quais a raça holandesa não atinge bem o seu potencial. Além desse aspecto, o gir
leiteiro também é bastante utilizado no cruzamento com o holandês para gerar rusticidade
nas crias. Por esses aspectos acredito que o leilão poderá ultrapassar a marca de R$ 1
milhão”, projetou Villefort.

Segundo o empresário, essas duas raças que serão leiloadas por ele durante a Superagro
Minas são as que mais crescem no país proporcionalmente. Com isso, tanto o guzerá quanto
o gir leiteiro vêm ganhando mais espaço no mercado e os animais top de linha estão bem
valorizados. “As técnicas de melhoramento genético hoje são bastante utilizadas no campo
para aprimorar os animais”, salientou.

Superagro - Além da Tradicional Exposição Agropecuária, a Superagro também engloba a 15ª
Feira e Festival Internacional da Cachaça (Expocachaça); Feira de Negócios, Serviços e
Produtos Pet e Veterinários (Expovet); Feira da Agricultura Familiar; Ciclo de Palestras
do Sebrae-MG e o Ciclo de Aulas Técnicas. As novidades desta edição são a Feira da
Pesca, Aquicultura, Náutica e Turismo; o Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal e o
16° Encontro Nacional de Educação Sanitária e Comunicação. O evento será realizado entre
os dias 25 de maio e 5 de junho, no complexo Parque de Exposições da
Gameleira/Expominas, em Belo Horizonte (MG).

A feira é uma promoção do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de
Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA),
junto com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e
Sebrae-MG.
As informações são da assessoria de imprensa da Superagro

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink