Deputado pede intervenção em conflito de terra no Paraguai
CI
Agronegócio

Deputado pede intervenção em conflito de terra no Paraguai

"A mão forte do governo brasileiro pode resolver essa questão", disse Carlos Alberto Leréia
Por:
"O presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO), pediu a intervenção do governo brasileiro para resolver a tensão provocada por grupos de sem-terra paraguaios que ameaçam invadir áreas exploradas por brasileiros naquele país. O parlamentar enviou documento ao ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, com a solicitação.

Desde o dia 23 de janeiro, os brasiguaios, como são conhecidos os produtores brasileiros que vivem no Paraguai, e os sem-terra estão em conflito na região de Santa Rosa del Monday, no Alto Paraná. O movimento alega que as terras foram ocupadas irregularmente pelos brasileiros.

Carlos Alberto Leréia afirma que os produtores brasileiros são responsáveis por quase toda a produção agrícola do Paraguai. "O governo brasileiro tem que cobrar do governo paraguaio proteção a esses brasileiros que lá estão, através da negociação, para que eles não vivam lá um terror”, disse. “Você ser ameaçado de ter os seus bens tomados é algo inaceitável. Portanto, a mão forte do governo brasileiro pode resolver essa questão.”

O vice-presidente do Parlamento do Mercosul (Parlasul), deputado Dr. Rosinha (PT-PR), lembra que o ex-presidente Alfredo Stroessner, que governou o Paraguai durante o período de ditadura (1954-1989), ofereceu terras para os brasileiros com o objetivo de desenvolver a agricultura paraguaia.

"Se a terra foi oferecida por concessão ou por venda, de toda maneira foi legal. E é essa legalidade hoje que uma parte da sociedade paraguaia questiona, e sempre tem conflitos”, explica o deputado. “E os conflitos às vezes são bastante violentos: brasileiros tendo suas casas queimadas, suas plantações destruídas.”
Dr. Rosinha acrescenta que, como as terras foram dadas durante a ditadura e sem nenhuma documentação, há dificuldade de reconhecimento delas.

Em pronunciamento no início da semana, o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, disse que seu governo rejeita atos violentos e orientou a polícia a assegurar a ordem na região de fronteira. A Justiça paraguaia também determinou a reintegração de posse, para os brasileiros, das terras invadidas.

O assunto será um dos temas discutidos nesta quinta-feira (9) em reunião da Representação Brasileira no Parlasul.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.