Deputados cobram posicionamento do Mapa sobre restrição a aviação agrícola

Agronegócio

Deputados cobram posicionamento do Mapa sobre restrição a aviação agrícola

“É uma tecnologia eficiente e segura", afirma Heinze
Por:
1840 acessos
Deputados membros da Frente Parlamentar da Agropecuária – FPA - estiveram reunidos na última terça-feira, dia 27, com o secretário executivo do Ministério da Agricultura, José Carlos Vaz, e cobraram a revisão do comunicado do Ibama, que restringe o uso da aviação agrícola para aplicação de defensivos que contenham os ingredientes ativos Imidacloprido, Fipronil, Tiametoxan e Clotianidina.

O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS), vice-presidente da FPA, destacou que caso a decisão seja mantida a produção de grãos nacional poderá ter prejuízos incalculáveis devido ao ataque de pragas e doenças. Segundo Heinze, a aplicação área é o melhor método de distribuição de agroquímicos e não causa danos a cultura. “É uma tecnologia eficiente e segura. Limitar o uso dela é impedir o crescimento do setor rural e do próprio país. Não dá para concordar com essa posição unilateral e sem embasamento técnico algum. Precisamos de uma postura firme do Ministério da Agricultura em defesa dos nossos produtores”, afirma Heinze.

José Carlos Vaz disse que o governo mantém uma rodada de conversações com seus agentes ambientais e busca uma solução para o impasse. Os parlamentares prometem convocar as ministras da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, para debater o tema na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados.

ENTENDA: em julho passado o Ibama emitiu um comunicado e proibiu a aplicação aérea de inseticidas contendo os ingredientes ativos Imidacloprido, Thiametoxam, Fipronil e Clotianidina. O órgão ambiental alegou que os produtos poderiam causar danos as abelhas.

No dia 3 de outubro, após cobranças do setor rural, uma nova decisão foi publicada no Diário Oficial da União. O Ato 1, desta vez do Ministério da Agricultura, autorizou o uso dos defensivos em caráter temporário para as culturas de arroz, soja, trigo e cana-de-açúcar até junho de 2013, com obediência a períodos específicos. No Sul, a pulverização só poderá ocorrer de 1º de dezembro de 2012 a 15 de janeiro de 2013. No Centro-Oeste entre 20 de novembro até 1º de janeiro de 2013 e no Norte, de 1º de janeiro a 20 de fevereiro de 2013. Para as lavouras de soja foi autorizada uma única aplicação durante todo o ciclo de pragas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink