Derretimento do ártico ameaça metas climáticas globais
CI
Imagem: Pixabay
CLIMA

Derretimento do ártico ameaça metas climáticas globais

Pesquisadores dizem que nem a ONU está trabalhando com eficiência
Por: -Leonardo Gottems

Um novo estudo publicado na revista científica 'Proceedings of the National Academy of Sciences' diz que o degelo do permafrost, uma camada do solo que fica congelada durante todo o ano, embora nem sempre coberta de gelo ou neve, nas regiões árticas. O mundo está liberando gases de efeito estufa que não são contabilizados nas estimativas globais, dificultando o combate às mudanças climáticas. 

O estudo relata que a região da Sibéria na Rússia registrou no ano passado uma temperatura recorde de 38 graus Celsius, a temperatura mais alta já registrada dentro do Círculo Polar Ártico, onde está localizada a maior concentração de permafrost do mundo. 

Os pesquisadores dizem que o grande problema é que os principais formuladores de políticas climáticas do mundo, incluindo o Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudança Climática, não estão se concentrando o suficiente nas emissões liberadas pelo derretimento do permafrost e incêndios florestais nas Nações Unidas. 

Em 2016, quando os líderes mundiais assinaram o acordo climático de Paris, eles definiram os orçamentos de emissões com o objetivo de evitar que as temperaturas médias globais aumentassem mais de 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais. Mas os pesquisadores dizem que os dados por trás desses orçamentos de emissões não levam em conta os gases do derretimento do permafrost. 

Em uma entrevista, o climatologista e coautor do estudo, Brendan Rodgers, disse que os novos números devem ser incluídos para que as mudanças climáticas sejam abordadas com sucesso. “Estamos efetivamente em uma corrida contra o tempo para reduzir as emissões e evitar os impactos mais severos das mudanças climáticas”, disse ele. "Excluindo as emissões de permafrost e os incêndios florestais do norte, estamos usando os marcos errados nessa corrida." 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.