CI

Desafios na produção gaúcha de azeite: da abundância à incerteza climática

Desafios se avizinham para a olivicultura gaúcha


Foto: Franquiéle Bonilha da Silva

A safra 2022/2023 revelou-se um marco histórico para a olivicultura gaúcha, o Rio Grande do Sul, maior produtor de olivas do Brasil, registrou um aumento de 29%, a produção atingiu a marca de 580 mil litros de azeite extravirgem. 

Contudo, as incertezas pairam sobre a próxima safra de 2024, pois os desafios climáticos, atribuídos ao fenômeno El Niño, ameaçam a estabilidade e produtividade das plantações.

O El Niño, conhecido por suas flutuações climáticas extremas, tornou-se um fator determinante para a próxima safra no Rio Grande do Sul. Os produtores estão atentos aos padrões meteorológicos, buscando estratégias para enfrentar as adversidades climáticas e garantir a continuidade do sucesso obtido na última colheita.

Veja a entrevista com o CEO e Sommelier da Milonga, Christian Vogt.

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.