Desempenho das UFs exportadoras de carne de frango em 2016

Agronegócio

Desempenho das UFs exportadoras de carne de frango em 2016

Comparativamente ao fechamento do primeiro semestre de 2016 ou, mesmo, aos sete primeiros meses de 2015, há mais uma UF exportando carne de frango.
Por:
252 acessos

Comparativamente ao fechamento do primeiro semestre de 2016 ou, mesmo, aos sete primeiros meses de 2015, há mais uma Unidade Federativa (UF) exportando carne de frango. No caso, o Amazonas, décima sétima UF exportadora no corrente exercício. 

Porém, os embarques amazonenses são, por ora, mínimos, inferiores a 30 toneladas. Têm, portanto, pouca influência no total exportado pelo País em sete meses, próximo de 2,6 milhões de toneladas e 8% superior ao registrado em idêntico período de 2015.

No mais, o comportamento das UFs na exportação de carne de frango segue a marcha normal, com os três estados da Região Sul liderando o setor e respondendo por Pouco mais de 75% do volume embarcado e da receita cambial obtida no período.

De toda forma, surpreende constatar que, ao contrário do ocorrido no fechamento do primeiro semestre, a receita cambial do Paraná voltou a ficar negativa, o que fez com que o déficit na receita cambial da Região Sul (negativo em 1,29% no fechamento do semestre) aumentasse para 5,16% nos sete primeiros meses de 2016.

Mas esse desempenho não ficou restrito ao Sul, pois o Centro-Oeste teve quase idêntico comportamento. E, neste caso, a receita cambial positiva (incremento de 3,5% nos seis primeiros meses de 2016) agora, opostamente, é 3,5% inferior. Culpa, em parte, de Goiás, que reduziu o volume exportado em 1,5%. Mas, aparentemente, também do Distrito Federal, que transferiu parte de suas exportações para Tocantins, na Região Norte.

É isso, aliás, que explica os altos índices de expansão da Região Norte - +712% no volume e +484% na receita. Mas, a exemplo da Região Nordeste (que também apresenta elevados índices de expansão, tanto no volume como na receita), sua contribuição para as exportações globais são pouco representativas. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink