Desempenho do frango vivo em abril e no primeiro quadrimestre de 2012
CI
Agronegócio

Desempenho do frango vivo em abril e no primeiro quadrimestre de 2012

Acabou o mais longo período de estabilidade de preços
Por:
Durou 53 dias e acabou em 23 de abril o mais longo período de estabilidade de preços do frango vivo. Nesse espaço de tempo, o produto comercializado no interior paulista operou com a cotação inalterada em R$1,80/kg, o que permitiu que obtivesse durante bom período a melhor média de preços do ano.


Mas os retrocessos ocorridos no terceiro decêndio do mês interromperam o processo e, em decorrência, o preço médio do mês acabou recuando perto de 1,5% em relação a março de 2012, mês em que se registrou, até agora, a melhor remuneração do corrente exercício.

Por outro lado, foi pequeno o retrocesso observado em relação ao mesmo mês do ano passado: apenas 0,76% de redução, o que deixa a falsa impressão de que o desempenho do frango vivo no mês não foi tão ruim. Aparências, apenas. Pois em abril de 2011 o mercado do frango já enfrentava os problemas típicos do período de safra da carne bovina e a ave experimentava forte perda de preços que se acentuaria nos meses seguintes. Portanto, a relativamente baixa redução de preços atual só ocorre porque a base anterior também foi baixa.


Em 2011, o frango vivo encerrou o primeiro quadrimestre do ano com um preço médio de R$1,95/kg, resultado que representou o melhor desempenho de todos os tempos. Na verdade, porém, o ganho de 26% então registrado em relação ao mesmo quadrimestre de 2010 continuava insuficiente para cobrir o aumento de custo do milho, principal insumo do frango, cujo preço médio, no quadrimestre, subiu 70% em relação aos quatro primeiros meses de 2010.

Pois bem: neste ano, em idêntico quadrimestre, os preços do frango vivo e do milho registram níveis de redução não muito diferentes entre si. Mesmo assim, comparativamente aos valores alcançados dois anos atrás, o preço do frango não chegou a evoluir 10%, enquanto o preço do milho continua cerca de 40% superior. Essa diferença, no entanto, representa apenas parte dos problemas que envolvem o setor.





Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink