Desempenho do frango vivo em dezembro e em 2018

Frango

Desempenho do frango vivo em dezembro e em 2018

Muitos ainda não perceberam, mas já não se fazem dezembros como antigamente
Por:
19 acessos

Muitos ainda não perceberam, mas já não se fazem dezembros como antigamente. Ao menos para o frango vivo. Nos cinco exercícios anteriores, em apenas uma ocasião (2017) a ave comercializada no interior paulista alcançou a melhor cotação do ano em dezembro. 

Esse desempenho continua sendo exceção à regra. Pois em 2018 os melhores resultados foram registrados entre setembro e outubro.E o valor médio de dezembro foi apenas o sétimo do ano, visto que inferior aos registrados nos seis meses decorridos entre junho e novembro.

Oficialmente, para quem produziu com a destinação pré-definida, os preços do mês giraram de um máximo de R$3,00/kg a um mínimo de R$2,90/kg, média de R$2,94/kg no mês. Mas quem operou no mercado spot sujeitou-se a descontos que chegaram a R$0,50/kg, pois, se de um lado a demanda permaneceu restrita, de outro a oferta acabou exacerbada por produto proveniente de integrações impossibilitadas de abater tudo o que produziram.

Sob esse aspecto, pois, o preço médio efetivo de dezembro de 2018 não foi muito além de R$2,70/kg, ou seja, igualou-se, praticamente, ao mesmo alcançado em dezembro de 2017. Já sob a cotação de referência, houve incremento anual de quase 9%, enquanto em relação ao mês anterior ocorreu retrocesso de 2,5%.

De toda forma, foi um desempenho melhor que o registrado no primeiro semestre do ano, período afetado, sobretudo, por novos desdobramentos da Operação Carne Fraca (2017) e até por uma greve geral dos caminhoneiros. Como essas ocorrências geraram forte retrocesso nas exportações de carne de frango, o mercado interno – já recessivo – viu a oferta do produto ampliar-se de forma significativa, com efeitos diretos sobre os preços da ave viva e da abatida.

Comparativamente aos preços médio do ano anterior, 2018 foi encerrado com uma média (R$2,79/kg) 8% superior (R$2,58/kg em 2017). Mas o ganho obtido esteve todo concentrado no segundo semestre, pois nos primeiros seis meses do ano o preço médio atingido ficou cerca de 3% aquém do alcançado em idêntico período de 2017. E sob condições de produção (custo das matérias-primas) bem mais graves. 

Aliás, sob o ângulo dos custos, as condições de 2018 foram muito similares às de 2016, as mais difíceis já enfrentadas pelo setor. Pois, de acordo com o último levantamento da Embrapa Suínos e Aves, o custo de produção do frango dos 11 primeiros meses de 2018 ficou apenas 2,5% abaixo do observado em idêntico período de 2016.

Mas o setor não ganhou nada com isso, pois o preço médio recebido pelo produtor, no último ano, também recuou perto de 3,5% em relação a 2016. Isto, se considerados apenas os preços referenciais. Pois, na prática, as perdas foram bem maiores.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink