Desempenho do ovo em julho de 2014

Agronegócio

Desempenho do ovo em julho de 2014

Em 2014 o setor foi ainda mais penalizado
Por:
474 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

Férias (como as de julho) são vistas, normalmente, como períodos de penalização do setor produtor de ovos. Porque nessas ocasiões, ano após ano, férias após férias, a atividade fica momentaneamente sem um de seus mais representativos mercados: a merenda escolar. 

Em 2014, porém, o setor foi ainda mais penalizado. Porque, com a Copa, as férias (e não só as escolares) foram antecipadas e alongadas além do habitual. Resultado: além do recuo de preços em maio (natural, porque pós-Quaresma e pós-Páscoa), quedas também em junho e julho, o que faz com que as perdas médias acumuladas em três meses cheguem a, praticamente, 23%.

O fato é que o ovo encerrou o primeiro mês do segundo semestre com um valor cerca de 4% menor que o do mês anterior e uma redução de quase 10% em relação ao mesmo mês do ano passado – o que, considerada a inflação acumulada nos últimos 12 meses, eleva bem mais as perdas do produto.

Com isso, o valor médio alcançado no primeiro mês do segundo semestre corresponde ao segundo menor patamar de preços de 2014. Ou seja: pior que julho passado, só janeiro de 2014. Quando o País também estava em férias.

Embora em índice menor, idêntica situação de perda é verificada, também, no valor médio obtido pelo ovo nos sete meses iniciais de 2014. Por exemplo, a média de R$58,68 alcançada pela caixa do ovo extra branco nesse período se mantém cerca de 4,5% abaixo do que foi alcançado entre janeiro e julho de 2013.

É verdade, por outro lado, que esse valor, quando comparado à média dos 12 meses do ano passado (R$57,86/caixa) ainda é positivo, representando incremento (nominal) de quase 1,5%. Porém, mantido o comportamento até agora observado (por exemplo: preço superior ao de um ano atrás em apenas 64 dos 212 dias transcorridos entre janeiro e julho de 2014) até mesmo esse ganho corre o risco de sofrer rápida diluição.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink