Exportação

Desempenho externo das carnes na 3ª semana de novembro

As exportações de carnes in natura apresentou recuperação em relação à média diária da semana anterior
Por:
47 acessos

Entre os dias 12 e 18, terceira semana de novembro, a receita média diária das exportações de carnes in natura avaliada pelo quesito dos dias úteis (quatro dias úteis) apresentou recuperação em relação à média diária da semana anterior (quase 15% a mais), mas permaneceu aquém do que foi registrado nos dois primeiros dias úteis do mês (um resultado então elevado, que pode ser atribuído a sobras do mês de outubro).

O fato é que, completados onze dos vinte dias úteis de novembro, 55% do total, a receita média diária das carnes se encontra em US$68,514 milhões, valor que supera em 4% e 21,5% a receita média do mês anterior e do mesmo mês do ano passado, além de se colocar como o melhor resultado dos últimos 13 meses.

Isto, porém, só beneficia integralmente a carne bovina. Pelo menos por ora. Pois se atingir o volume previsto de 124,5 mil toneladas, estará registrando não só aumento de 4,6% e 64% (!) sobre, respectivamente, o mês anterior e o mesmo mês do ano passado, como também terá atingido o maior volume da história.

A carne suína – cujo desempenho atual projeta exportação mensal próxima de 52 mil toneladas – registrará, neste caso, aumento de 6% sobre o mês anterior, mas redução de 11% sobre novembro de 2016.

Já as quase 302 mil toneladas estimadas para a carne de frango significarão redução de, praticamente, 10% sobre outubro último e aumento ligeiramente superior a 3% em relação a novembro/16.

No tocante ao preço obtido no mercado internacional, as três carnes permanecem em relativa estabilidade comparativamente ao mês anterior. Porém, em relação a novembro de 2016, as carnes suína e bovina enfrentam redução (de 7,6% e 3,7%, respectivamente), enquanto a carne de frango sinaliza aumento de, aproximadamente, 8%.

A registrar, por fim, que - mantidos os desempenhos atuais - a carne bovina deve obter no mês receita cambial superior à da carne de frango – ocorrência que, não sendo inédita, é bastante rara na história das exportações brasileiras de carnes. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink