Dia de campo discute boas práticas para cultivo do mamão no Acre

Agronegócio

Dia de campo discute boas práticas para cultivo do mamão no Acre

Dia de Campo ocorreu no Acre
Por: -Leônidas Badaró
2535 acessos

Durante a quarta-feira 24, agrônomos da Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Seap) participaram de um dia de campo, no qual foram debatidas técnicas de produção para o cultivo do mamão no Acre. O local escolhido não podia ser melhor. A propriedade, localizada a 17 quilômetros de Senador Guiomard, possui um plantio de três mil pés da fruta em cerca de dois hectares.

Por semana, os proprietários da área estão colhendo e entregando a uma rede de supermercados de Rio Branco mais de 500 quilos de mamão.

Durante o dia de campo, especialistas da Embrapa orientaram os profissionais responsáveis pela assistência técnica os passos necessários para produzir o fruto e aumentar a produtividade e a qualidade do mamão.

São orientações que vão desde a produção de mudas, melhor forma de irrigação, espaçamento entre as plantas, adubação correta e eliminação de pragas oriundas de outras culturas produtivas.

Romeu de Andrade Neto, pesquisador da Embrapa, lembra que o Acre oferece todas as condições climáticas para a produção do mamão, além de uma grande demanda de mercado.

“Ainda não temos tradição na cultura do mamão, embora a região tenha um grande potencial de produção. Temos a faca e o queijo na mão, já que há demanda e clima favoráveis. O que precisamos agora é adotar tecnologias indispensáveis à produção de mamão”, declarou Andrade Neto.

Quem comemorou muito a realização do dia de campo foi o agricultor Haroldo de Oliveira, um dos sócios do plantio de mamão. O negócio tem dado tão certo que a ideia agora é chegar a cinco hectares de cultivo da fruta.

Análise identifica necessidade de reposição de nutrientes no solo

Outra ação importante da assistência técnica prestada pela Seap é a análise de solo, que fornece um diagnóstico pelo qual são identificadas as necessidades de nutrientes para o desenvolvimento das plantas, resolvidas por meio de adubação e correção da acidez do solo.

Agrônomos da Seap fizeram a coleta de material, que vai ser enviado a um laboratório para que seja feita a análise do solo da propriedade.

“Esta é uma etapa muito importante. Com essa análise, orientamos o produtor como melhorar a fertilidade do solo e, consequentemente, aumentar a produtividade”, explica a agrônoma Michelma Lima.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink