Agronegócio

Dia de campo do SENAR/MS destaca opções produtivas que vão da fruticultura à piscicultura

Um dos atendimentos oferecidos pelo programa Hortifruti Legal é a assistência técnica para produtores que se dedicam ou que queiram iniciar a atividade de fruticultura.
Por:
1815 acessos

Um dos atendimentos oferecidos pelo programa Hortifruti Legal, do SENAR/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural é a assistência técnica para produtores que se dedicam ou que queiram iniciar a atividade de fruticultura. Durante o dia de campo promovido na Feira do Agronegócio de Coxim e região norte no último dia 8 de julho, foram apresentadas informações sobre cultivo de melancia, maracujá e caju para 270 produtores participantes.

A região que tem na pecuária a matriz econômica está ampliando as opções de atividades agrícolas, comprovadas pelo atendimento de 80 famílias localizadas nos municípios de Alcinópolis, Camapuã, Coxim, Figueirão e Jaraguari. A produção do grupo possibilitou a comercialização de R$ 46.700 em hortifrutigranjeiros somente no mês de junho, o que na avaliação dos participantes vem a reforçar o potencial produtivo e econômico da região.

Para o superintendente do SENAR/MS, Rogério Beretta, o dia de campo é a oportunidade que os produtores têm de acompanhar no campo, as tecnologias sugeridas pela equipe técnica da instituição. “Os visitantes que participaram desta troca de conhecimentos puderam avaliar a eficácia das tecnologias oferecidas por nossos instrutores durante as visitas. Observamos o envolvimento de todos, questionando, esclarecendo dúvidas e aprendendo técnicas que poderão ser implantadas na propriedade com a finalidade de melhorar a produtividade e a rentabilidade”, observa.

A produtora rural Albertina Santana Araújo, de São Gabriel do Oeste revela que desenvolve plantio de mandioca e pretende começar o planejamento para cultivar melancias e futuramente, maracujá. Com uma propriedade de 52 hectares, tem na produção leiteira a principal atividade, mas, confirma o desejo de utilizar toda a potencialidade da área. “Já participei de outros dias de campo e sempre volto para casa com mais informações para utilizar na minha chácara. Eu e meu esposo tínhamos objetivo de aprender mais sobre manejo dos animais, mas, observamos que podemos também ampliar nossa atividade para culturas de frutas”, argumentou com animação.

Outra fruta que está respondendo bem ao manejo técnico no solo do município é o caju. No espaço do parque de exposições o pomar de cajueiros está florido em razão dos cuidados recebidos. O secretário da Sepaf – Fernando Lamas visitou a estação e comenta que a cultura tem potencial econômico interessante para os produtores. “O trabalho do Senar/MS aqui na região está resultando em uma mudança e atitude e comportamento que precisa ser estimulada. Verifico no caju uma opção de cultura com produto nobre, já que temos a fruta e a castanha com ampla aceitação no mercado”, observa.

Informação que inspira – O produtor rural Abrahão Carlos veio ao evento com um grupo de vizinhos do município de Figueirão e recebe assistência do Hortifruti Legal no cultivo de folháceas em sistema de hidroponia. Ele conta que resolveu investir para animar a esposa que sempre gostou de cuidar de plantas. “Participei de um curso de Cultivo e Manejo de Horta e recebi muito incentivo do técnico para começar o plantio. Decidi trabalhar com hidroponia e atualmente comercializo mil pés de alface. A procura tem sido tanta que terei de construir outra estufa e planejo também expandir para outras culturas como abobrinha, quiabo e jiló”, detalha.

Sobre a integração das estações de hortifrutigranjeiros e leite, destaca: “Acredito que a melhor forma do produtor se especializar é tendo acesso a dias de campo como este. Eu sempre trabalhei com produção de leite na minha propriedade, no entanto, percebi que tinha um diferencial que reduziria bastante os custos com a produção que é o esterco bovino. Continuo com a produção leiteira e agora tenho uma opção de renda que me dá satisfação e lucro”, complementa.

O amplo espaço oferecido no parque de exposições de Coxim possibilitou ainda a montagem de uma unidade demonstrativa de piscicultura com um cardume de pacus e orientação técnica do ATeG Piscicultura. O técnico responsável, Frederico Vasconcelos elencou as informações disponibilizadas aos visitantes. “Estamos à disposição dos produtores que tem interesse em conhecer mais sobre esta atividade e detalharemos informações como equipamentos utilizados, kit de análise de água e qualidade da ração. Nosso objetivo é explicar que para ter sucesso na produção de peixes, o interessado deve estar atento a questões fundamentais como aptidão do terreno e acesso à água”, pontua.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink