Dia de Campo em Itapetininga (SP) vai debater amanhã soja transgênica
CI
Agronegócio

Dia de Campo em Itapetininga (SP) vai debater amanhã soja transgênica

Por:

Amanhã (20-04), cerca de 200 produtores rurais de várias regiões do Estado de São Paulo participarão do Dia de Campo, promovido pela Dekalb, D"Agro/Itapetininga e Associação Anália Franco, quando serão abordados aspectos relacionados ao plantio, mercadologia, comercialização e legislação da soja roundup ready (soja transgênica). O encontro será realizado na fazenda da Associação Anália Franco, em Itapetininga, das 11 às 16h.

O Dia de Campo, sediado na fazenda da "Anália Franco", finalizará o projeto "Giro Tecnológico", promovido pela Dekalb. Durante o encontro, membros da empresa farão uma demonstração do herbicida roundup, utilizado no controle de plantas daninhas. O roundup é exatamente o mesmo produto utilizado pela empresa na produção da soja transgênica.

No sul do país, 98% das plantações de soja são transgênicas. Mas nas demais regiões o assunto ainda gera polêmica e controvérsia. Por isso, muitos produtores ainda relutam em investir nesse tipo de semente.

De acordo com o engenheiro agrônomo e gerente de produção da Associação Anália Franco, Fernando Galvão, a produtividade dos transgênicos é um pouco menor que a da tradicional. Porém, a economia proporcionada pelo menor uso de herbicidas compensa, já que este é um dos principais itens de custeio da produção dessa especialidade agrícola.

Depois da palestra e discussão sobre transgenia, os participantes conhecerão o trabalho que a Associação Anália Franco realiza junto à comunidade socialmente excluída que reside na zona rural de Itapetininga. Uma das fontes de renda da entidade tem origem nas atividades agropecuárias desenvolvidas na fazenda, onde são cultivados soja, trigo, milho triticale e feijão, além da engorda de 4.050 leitões/ano.

Entenda a questão

Quando se cultiva soja com sementes tradicionais, o primeiro passo é dessecar a área - eliminar as plantas daninhas com o uso de produtos químicos. Depois, semeia-se o campo. O que acontece é que em algumas semanas surgem novos tipos de matos, imunes ao herbicida aplicado antes do plantio. Assim, os produtores precisam aplicar novos produtos, tantas vezes quantas surgirem plantas daninhas. Caso contrário, a produção será comprometida.

Sementes transgênicas nada mais são que grãos modificados geneticamente (em laboratórios) para que se tornem resistentes a determinados produtos ou efeitos naturais, como pragas ou pestes. No caso da soja roundup ready, as sementes são alteradas para que se tornem imunes à aplicação desse herbicida (o roundup).

Como a soja transgênica desenvolvida pela Dekalb é resistente ao roundup, os produtores podem semear os campos sem precisar exterminar os diversos tipos de matos existentes. Posteriormente, quando a soja começar a brotar, aplica-se o herbicida que eliminará as plantas daninhas sem prejudicar a plantação, que foi geneticamente imunizada contra sua ação.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink