Diário de Bordo: condição das lavouras no Médio-Norte de MT
CI
Agronegócio

Diário de Bordo: condição das lavouras no Médio-Norte de MT

Tamanho e formação de espigas confirmam boa produtividade
Por:
Na região Médio-Norte de Mato Grosso, tamanho e formação de espigas confirmam boa produtividade


Entre segunda e terça-feira, a Expedição Milho Brasil 2013 visitou os municípios de Campo Novo do Parecis, no Oeste mato-grossense, Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, no Médio-Norte do estado. A jornada por Mato Grosso segue até o final da semana. Confira os comentários do analista da FCStone que participa da Expedição, Guilherme Haluska:


“Em todo o município de Campo Novo do Parecis, cerca de 450 mil hectares são cultivados na safra principal e pastagens. Dessa área, 140 mil hectares estão destinados ao milho de segunda safra – área praticamente igual à do ano passado. Após o milho, as culturas de maior importância são o milheto e o girassol, cada um com cerca de 35 mil hectares cultivados para a safra de inverno.

Como houve um atraso na colheita da soja no início do ano, devido às condições climáticas adversas, o plantio do milho acabou ocorrendo com atraso em várias regiões. Estima-se que as atividades de cultivo tenham ocorrido até o dia 15 de março. Como o período ideal para o plantio era até o dia 20/fev, boa parte das atividades no campo foram realizadas fora dessa janela, o que traz maiores riscos para o desenvolvimento da safra.

Em 2012, o rendimento médio do município foi de 90 sacas/ha. Ainda é cedo para saber ao certo qual será o rendimento das lavouras este ano. Por um lado, cerca de 15% do plantio foi feito fora da janela, aumentando os riscos e comprometendo a produtividade. Contudo, as lavouras encontram-se em boas condições de forma geral, pois não houve nenhum período de estiagem na região. Ainda é preciso que ocorra mais uma chuva para garantir rendimentos iguais ou superiores ao do último ciclo. Para maio, ainda são esperadas algumas chuvas, mas em menor volume.


A comercialização encontra-se parada, com pouco interesse comprador, havendo produtores que ainda não venderam nenhuma parte de sua produção. De acordo com alguns players da região, são esperados preços em torno de R$ 10,00 a R$10,80/saca na época da colheita. De acordo com produtores, seria necessário um preço de R$ 12,00 a R$ 13,00/saca para cobrir os custos de produção. Espera-se que a Conab entre no mercado para dar suporte aos preços e aliviar a situação dos produtores.

O girassol e o milho pipoca se apresentam como as culturas que podem preservar os rendimentos dos produtores nesta safra de inverno. As previsões são de que a área plantada dessas culturas cresça no próximo ano, em detrimento do milho. A forma de comercialização desses produtos apresenta uma vantagem, pois o plantio é feito mediante a quantidade que já foi previamente comercializada. Além disso, há uma indústria consumidora desses dois itens na região, garantindo uma demanda para os produtores locais.

A Expedição chegou ao munícipio de Lucas do Rio Verde no final da tarde do dia 21, onde visitaram um produtor. A Fazenda fica em Sorriso, logo depois da divisa Lucas do Rio Verde com Sorriso.

Nesta propriedade foram plantados 400 hectares de milho, mesma área de 2012. O plantio foi finalizado em 28 de fevereiro. A ocorrência das chuvas está dentro das médias históricas, de forma que as lavouras apresentam boas condições, sem problemas de pragas e doenças.


Em 2012, o rendimento foi de 128 sacas/ha. Com mais duas chuvas, o rendimento pode igualar e até superar o do ano passado. É necessário um volume de chuvas entre 10 e 30 mm, dependendo da parte da lavoura.

Nenhuma saca foi comercializada até agora. No ano passado, nessa mesma época, uma pequena parte da produção já havia sido comercializada. O produtor planeja deixar o milho em um armazém próximo, mantendo-o estocado até dezembro, esperando por preços melhores para realizar as vendas.

A colheita está programada para começar no dia 15/junho e se estender até 10/julho. Na safra de verão, toda essa área será destinada ao cultivo da soja. Na safra de inverno de 2014, o produtor cogita migrar parte da área do milho para o cultivo do feijão.

No munícipio de Nova Mutum, foi registrada a maior média de chuvas do estado do Mato Grosso. Por conta disso, as lavouras encontram-se em condições muito boas. As lavouras das fotos tratam-se de uma área de pesquisa, e foram plantadas no dia 18 de fevereiro. Para essa área em questão, são esperados rendimentos de até 8,0 ton/ha (133 sc/ha).”


* Guilherme Haluska é analista de mercado da consultoria FCStone e integra a equipe da Expedição Milho Brasil 2013

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.