Disponibilidade de trigo do Mercosul será menor

MERCADO

Disponibilidade de trigo do Mercosul será menor

Devido aos estragos do clima tanto no Brasil como no Paraguai, bem como à forte demanda
Por: -Leonardo Gottems
240 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente

A disponibilidade de trigo no Mercosul para a safra 2018/19 não deverá ser tão grande quando poderia ter sido. De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, isso se dá devido aos estragos do clima tanto no Brasil como no Paraguai, bem como à forte demanda sobre o trigo argentino pelo mercado internacional. 

O Uruguai ainda tem 130 mil tons de safra velha de boa qualidade disponível e deverá ter mais 180 mil tons de safra nova. Na Argentina, que é a grande fornecedora de trigo para o Brasil, o spread entre os preços do trigo disponível e o futuro duplicou durante esta semana, ao aumentar em 7% a posição mais próxima no MATba, enquanto que o preço para entrega física futura em dezembro, em Rosário, caiu 1%. 

“A razão é, de um lado, a atual escassez de grão e, de outro, a maior oferta proporcionada pela colheita. A rápida comercialização do trigo da temporada atual deixa existências de menos da metade do volume médio dos últimos três anos em meados de setembro. De uma oferta total de grão de 19 milhões de toneladas, em 12 de setembro os compradores finais de grão (exportadores e moinhos) apenas tem 2,3 milhões de toneladas ainda disponíveis, menos da metade do que restava, na média, para comprar na mesma época do ano nas três últimas safras”, explica o analista Luiz Fernando Pacheco.

“Em relação às exportações, neste momento já foram realizadas vendas de quase a totalidade do saldo exportável da safra 2017/18, superando em quase 10% o quociente entre compromissos externos e o volume médio das exportações dos últimos três anos. Em relação às vendas externas de trigo novo, neste momento já estão comprometidos mais de 40% do saldo exportável estimado, algo sem precedentes nas safras anteriores”, conclui.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink