Do campo à mesa: horticultores utilizam aplicativo para rastrear o processo produtivo

Agropecuária

Do campo à mesa: horticultores utilizam aplicativo para rastrear o processo produtivo

CNA disponibiliza aplicativo que pode ajudar produtor rural a atender as novas regras Agri trace – Rastreabilidade Vegetal
74 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A partir desse mês, os produtores de frutas e hortaliças terão que se adequar à Instrução Normativa Conjunta n° 02/2018 do Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que define procedimento para a aplicação da rastreabilidade ao longo da cadeia produtiva de produtos vegetais frescos destinados à alimentação humana.

Com a regra os produtos vegetais, frescos ou seus envoltórios como caixas, sacarias e demais embalagens, devem estar devidamente identificados de forma a possibilitar o acesso, pelas autoridades competentes, aos registros de informações obrigatórias.

Esse é o tema da editoria ‘Mercado Agropecuário’ dessa segunda-feira. Para o superintendente do Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, Lucas Galvan, existem tecnologias que permitem e facilitam ao produtor o atendimento à legislação. “Para que os produtores possam se adequar de forma prática e eficiente, o Instituto CNA desenvolveu o Agri Trace Rastreabilidade Vegetal, um aplicativo que permite ao produtor o registro de seus dados pessoais, localização da propriedade, produtos comercializados, quantidade, numeração do lote, data de colheita e informações do comprador, conforme exigido pela instrução normativa”.

Entre outros dados, o sistema fornecerá a possibilidade do produtor detalhar as informações de origem como data de plantio, de colheita, definição do talhão plantado, insumos utilizados e os tratos culturais realizados e realizar a impressão de etiquetas com caracteres alfanuméricos, código de barras, QR Code ou qualquer outro método que permita identificar os produtos vegetais frescos de forma única e inequívoca.

Para Galvan, a normativa regularizará todo os elos dessa cadeia produtiva: “É importante o produtor rural se adequar, o quanto antes, considerando que os mercados podem começar  a exigir essa rastreabilidade antes mesmo de 2020. É uma segurança tanto para o consumidor como para o produtor”.

Com o aplicativo, os horticultores terão o benefício de um código de barras padronizado, reconhecido nacional e internacionalmente. Em todos os módulos haverá um painel de gestão que apresentará as principais informações para cada elo na cadeia de frutas e hortaliças.

A partir de fevereiro desse ano começa uma ação orientativa sobre o software até fevereiro de 2020.  Após esse período, considerando que a rastreabilidade da produção é regulada por lei, o produtor será obrigado a declarar as informações de seu modelo produtivo.

Mercado Agropecuário – O Sistema Famasul divulga todas as segundas-feiras uma matéria sobre o andamento das principais cadeias produtivas de Mato Grosso do Sul. Acompanhe!

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink