Doenças fúngicas afetam lavouras de trigo no RS

Agronegócio

Doenças fúngicas afetam lavouras de trigo no RS

Safra do Rio Grande do Sul abrange área de 860,2 mil hectares neste ano
Por:
988 acessos

A umidade e a oscilação nas temperaturas da última semana criaram condições ideais para a proliferação de doenças fúngicas no trigo no Rio Grande do Sul. Em Passo Fundo, por exemplo, de 15% a 20% das lavouras foram atingidas por manchas foliares e mosaico, segundo levantamento da Emater. 'Se não for tratado, o mosaico pode levar à perda na produtividade e na qualidade', alerta o técnico da Emater Cláudio Doro. Ele orienta o produtor a monitorar a lavoura e a aplicar fungicidas assim que as doenças forem detectadas.

Conforme o gerente técnico da Emater, Flávio Calcanhoto, 93% da lavoura está em desenvolvimento vegetativo e o restante em floração, período crítico e no qual as doenças podem ter consequências mais graves. 'É preciso observar a lavoura.' Para Calcanhoto, o triticultor deve esperar para aplicar fungicidas, pois há possibilidade de chuvas, que podem prejudicar a ação dos produtos.

Nesta safra, o Estado semeou 860,2 mil hectares de trigo.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink