ANÁLISE

É hora de aproveitar os prêmios na soja?

Sobretaxas da China só vão valer com o início do 'tarifaço' dos EUA
Por: -Leonardo Gottems
5231 acessos

Com a disparada dos prêmios pagos pela soja nos portos brasileiros, surge a dúvida se o momento é de esperar por valores ainda maiores ou fechar vendas imediatamente. Na visão da T&F Consultoria Agroeconômica, “o mercado pode reverter, e portanto é hora de aproveitar os bons prêmios”.
 
Segundo o analista Luiz Fernando Pacheco, mesmo nesse período de valorização o prêmio também oscilou. “Recomendamos que seja aproveitado, porque é pouco provável que aumentem muito mais do que isto e, mesmo que subam, qual é o problema? Ninguém tem a obrigação de conseguir o ápice do preço do ano, mas sim, de ter lucro – e lucro já há. Há que se agir dia a dia”.
 
“Então, quem conseguiu fixar um prêmio de 165 pontos conseguiu cerca de 55 dólares por tonelada métrica a mais para quando fixar o preço final do contrato do que quem deixou para fixar no final do pregão. Quem fechou com prêmio de 141 pontos conseguiu apenas 47 dólares/t a mais. Ambos, a partir de agora, precisarão somente, acompanhar as oscilações das cotações de Chicago para valorizar ainda mais esta excelente posição”, explica.

Questionado sobre quais são as razões que podem fazer Chicago voltar a subir e os prêmios voltarem a cair, Pacheco cita em primeiro lugar a data do início da taxação: “Esta data ficou condicionada ao início das tarifas americanas sobre os produtos chineses. Isto significa que tudo fica como está por enquanto, não sendo aplicadas nenhuma das sanções enquanto os EUA não definirem a data do início das suas próprias tarifas”.

Neste meio tempo, afirma o analista, é possível que se venda mais soja à China, reduzindo a sua necessidade e as importações brasileiras. “Com isto, as cotações em Chicago devem subir e os prêmios da soja brasileira, caírem. Depois disto, quem sabe o que vai acontecer de pior do que já aconteceu hoje? Se os prêmios voltarem aos níveis de hoje, solte foguetes!”, diz ele.

“Aparentemente, Chicago já precificou hoje toda esta disputa em torno da soja. Daqui para frente, precisará acontecer algo de novo e inesperado para jogar as cotações ou os prêmios mais para cima. Nada que se possa ver no horizonte ainda. As outras razões são a própria monotonia da definição do mercado. Ela impede altas significativas, embora as cotações se mantenham altas (mas não subindo). Nestes casos, com mercado andando de lado, num sideline market, o melhor é vender antes e aplicar o dinheiro, para aumentar um pouco os rendimentos, já que os preços permanecem altos, mas iguais”, conclui. 
 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink