É preciso nova relação com a vida selvagem, diz especialista

Imagem: Marcel Oliveira

MEIO AMBIENTE

É preciso nova relação com a vida selvagem, diz especialista

Segundo ele, devemos nos apoiar nos estudiosos
Por: -Leonardo Gottems
98 acessos

O novo coronavírus acabou causando mudanças bastantes positivas no meio ambiente, o que leva a crer que precisaremos mudar a relação humana com a vida selvagem, afirmou Juan José Luque-Larena, da Universidade de Valladolid, na Espanha. De acordo com ele, quanto menos pressão os seres humanos exercem sobre os animais, menos medo eles têm e se mostram mais. 

Ele explica também que a biodiversidade é um dos principais recursos que a espécie humana possui atualmente para continuar tendo uma boa qualidade de vida. “O maior risco que temos atualmente é a queda nos índices de biodiversidade. Segundo a ONU publicada no ano passado , a perda de espécies animais e vegetais é comparável a eventos como a extinção em massa de dinossauros durante o Cretáceo. É por isso que é chamada de sexta extinção , devido à taxa em que as espécies estão desaparecendo devido à ação do ser humano sobre o meio ambiente”, completa. 

“Temos que aprender a viver com a imensa riqueza natural que temos a sorte de desfrutar. Em nosso país (Espanha), existem espécies de fauna que, depois de estarem em uma situação muito crítica à beira da extinção, estão agora em ascensão graças ao fato de os seres humanos terem começado a deixá-los em paz. No entanto, ainda temos muitas espécies à beira do desaparecimento”, completa. 

Para finalizar, o especialista diz que o homem moderno é um animal social com uma influência muito poderosa sobre a natureza. “Nosso futuro envolve entender e aplicar uma ciência tão inclusiva quanto a ecologia. Mas isso já foi escrito por Charles J. Krebs, mais de três décadas atrás, em The Message of Ecology, e ele insistiu na mensagem novamente há apenas quatro anos com Why Ecology Matters . Meu conselho é tomar nota do que os cientistas estão dizendo à sociedade. Não temos desculpa para não”, conclui. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink