Edição de genes aumenta produtividade de tomate
CI
MAIS RÁPIDO

Edição de genes aumenta produtividade de tomate

Método aumentará produtividade mais rápido
Por: -Leonardo Gottems

A produtividade em cultivos tem sido cada vez mais vulnerável devido às mudanças climáticas e da qualidade do ar. Para combater ameaças ambientais futuras e o rápido crescimento populacional, cientistas buscam novas formas de desenvolver plantas que podem suportar ambientes desfavoráveis e imprevisíveis e produzir mais comida ao mesmo tempo.

Os cultivos transgênicos não são um novo conceito – por um milênio, produtores tentaram cruzar variedades de plantas para melhorar o sabor e o rendimento. No entanto, não aconteceu até o século 19 que Gregor Mendel descobriu que determinados traços poderiam ser passados de uma geração para a próxima através de genes. Mendel gastou oito anos experimentando a cruzando plantas de ervilha para identificar e aprender sobre os genes que controlam importantes traços como a semente, cor das plantas e altura.

Atualmente, cientistas estão construindo sobre essas intuições precoces novas ferramentas que possam eficientemente gerar cultivos com os traços mais desejados para uma produtividade mais alta.

Daniel Rodríguez Leal, um bolsista latino-americano do Pew com Zachary Lippman no laboratório Cold Spring Harbor, de Nova Iorque, está aproveitando a força da edição de genomas para melhorar cultivos. Relatado na edição de Setembro da publicação Cell, Rodríguez-Leal usou a tecnologia CRISPR para manipular sequências dentro do promotor de genes que são importantes para a produtividade. Os promotores são regiões de DNA adjacentes a um gene, que podem atuar como um interruptor de obscuridade para controlar quando, onde e em que nível esses genes se ativam durante o desenvolvimento da planta.

Ao fazer pequenas mudanças a essas regiões, Rodríguez-Leal foi capaz de rapidamente gerar uma miríade de variantes importantes da produtividade de tomates: arquitetura da planta, forma e tamanho da fruta. A equipe descobriu que ao usar CRISPR para modificar os promtores ao invés de usar genes, eles foram capazes de afinar a produção de genes de rendimento. Em um exemplo, os pesquisadores observaram como a produtividade média mudou como resultado de alterar o número de órgãos florais e lóbulos, que podem determinar o quanto a fruta deverá crescer.

A abordagem de Rodríguez-Leal contorna métodos laboriosos e demorados de criação de plantas tradicionais para gerar variedades genéticas sutis muito mais rápidas, e também poderia funcionar em outras culturas alimentares.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.