El Niño pode provocar período de estiagem no Nordeste

Agronegócio

El Niño pode provocar período de estiagem no Nordeste

Os estados mais afetados pela estiagem neste ano serão o Piauí, Ceará, Pernambuco, o semi-árido da Paraíba e uma parte do interior da Bahia
Por: -Redação
8 acessos

A presença do fenômeno El Niño deverá provocar um ano de estiagem em toda o Nordeste brasileiro. A afirmação foi feita pelo chefe da Divisão de Pesquisas Aplicadas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Expedito Rebello. Segundo ele, os estados mais afetados pela estiagem neste ano serão o Piauí, Ceará, Pernambuco, o semi-árido da Paraíba e uma parte do interior da Bahia.

Rebello ressaltou que a Região Nordeste está com problemas devido à falta de chuvas desde dezembro do ano passado. “O período chuvoso – que se inicia em fevereiro – não será bom para o agricultor”, disse. Para Rebello, um planejamento estratégico de capacitação da água pode ser a solução para o agricultor. “Economizar água é muito importante para a região. Se não houver chuvas, nós vamos ter um período muito ruim para o Nordeste”.

De acordo com o pesquisador Alexandre Costa, doutor em assuntos meteorológicos da Fundação de Meteorologia do Ceará (Funcence), a chegada do fenômeno El Niño neste ano foi atípica em relação ao que era previsto. “Ao invés de chuvas na Região Sul, El Niño foi deslocado para o Sudeste e provocou esse excesso de chuva dos últimos dias”, afirmou Costa. “O Nordeste é a região que sofre mais” com a chegada do fenômeno, acrescentou.

As condições climáticas no Nordeste estão sendo discutidas no 9º Workshop Internacional de Avaliação Climática para o Semi-árido Nordestino, que termina hoje (11-01), em Fortaleza.

De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado pelo aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical. O fenômeno pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento em nível mundial, afetando os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink