Em 2012, IBGE prevê safra 0,3% maior que em 2011


Agronegócio

Em 2012, IBGE prevê safra 0,3% maior que em 2011

Algodão teve a maior variação positiva
Por:
1281 acessos
A 12ª estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas indica uma produção de 159,9 milhões de toneladas, superior em 6,9% à safra recorde de 2010 (149,6 milhões de toneladas) e 0,2% maior (348.177 toneladas) que a estimativa de novembro. A área colhida em 2011, de 48,7 milhões de hectares, apresentou acréscimo de 4,7% frente à área colhida em 2010, e de 39.305 hectares (0,2%), comparativamente à informação do mês passado. As três principais culturas, que somadas representaram 90,3% da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, o arroz, o milho e a soja, responderam por 82,4% da área colhida, registrando, em relação ao ano anterior, variações positivas de 1,7%, 3,5% e 3,3%, respectivamente. No que se refere à produção, o arroz, o milho e a soja mostram, nessa ordem, acréscimos de 19,0%, 0,1% e 9,2%.


O IBGE também realizou, em dezembro, o terceiro prognóstico de área e produção para 2012, segundo o qual a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2012 é estimada em 160,3 milhões de toneladas, superando em 0,3% a safra de grãos constatada em 2011.

A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa.

Entre as grandes regiões, o volume da produção apresenta a seguinte distribuição: região Sul, 67,6 milhões de toneladas; Centro-Oeste, 56,0 milhões de toneladas; Sudeste, 17,2 milhões de toneladas; Nordeste, 14,7 milhões de toneladas; e Norte, 4,3 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, houve incrementos em todas as regiões: Norte, 7,6%; Nordeste, 25,1%; Sudeste, 0,6%; Sul, 5,3%; e Centro-Oeste, 6,7%.

Entre os estados, o Paraná liderou a produção nacional de grãos, com uma participação de 19,7%, seguido pelo Mato Grosso, com 19,5%, e o Rio Grande do Sul, com 18,5%.



Estimativa de dezembro em relação à produção obtida em 2010

Dentre os 25 produtos selecionados, 16 apresentam variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: algodão herbáceo em caroço (72,6%); amendoim em casca 1ª safra (27,3%); arroz em casca (19,0%); batata-inglesa 1ª safra (13,3%); batata-inglesa 2ª safra (7,6%); batata-inglesa 3ª safra (6,1%); cacau em amêndoa (6,3%); cevada em grão (9,3%); feijão em grão 1ª safra (31,2%); laranja (2,8%); mamona em baga (24,7%); mandioca (7,3%); milho em grão 1ª safra (3,3%); soja em grão (9,2%); sorgo em grão (29,5%); e triticale em grão (25,2%). Com variação negativa: amendoim em casca 2ª safra (39,8%); aveia em grão (7,4%); café em grão (7,1%); cana-de-açúcar (11,7%); cebola (9,8;feijão em grão 2ª safra (7,4%); feijão em grão 3ª safra (8,2%); milho em grão 2ª safra (4,6%); e trigo em grão (6,5%).

Estimativa de dezembro em relação a novembro

CAFÉ (em grão)
– A produção de 2,7 milhões de toneladas (44,5 milhões de sacas) teve um acréscimo de 0,1% em relação a novembro. A área total no país reduziu 0,2%, mas o rendimento médio aumentou 1,3%. Minas Gerais, maior produtor brasileiro de café, apresentou um pequeno acréscimo na produção, que totalizou 1,3 milhão de toneladas (22,3 milhões de sacas de 60 kg), considerando as duas espécies em conjunto (arábica e canephora), que representaram 50,0% do total. A área colhida de 1.025.366 ha mostrou um decréscimo de 0,3%, enquanto o rendimento médio aumentou 0,3% em relação a novembro.


FEIJÃO (em grão) Total – Considerando as três safras, a produção foi avaliada em 3.550.107 toneladas, superior 0,7% em relação ao mês anterior e está assim distribuída: 1.998.737 toneladas da 1ª safra (56,3%); 1.116.488 toneladas da 2ª safra (31,4%); e 434.882 toneladas da 3ª safra (12,3%). Comparativamente ao mês passado, o feijão 2ª safra apresentou decréscimo de 0,2% enquanto as produções dos feijões 1ª e 3ª safras registraram acréscimos de 1,2% e 0,7%, respectivamente.

MILHO (em grão) Total – A produção do milho em grão, para ambas as safras, totalizou 56,1 milhões de toneladas, mostrando uma variação negativa de 0,2% comparativamente à de novembro. A 1ª safra de milho alcançou 34,2 milhões de toneladas, apresentando um acréscimo de 0,2%, confrontada à estimativa anterior. Para o milho 2ª safra, estima-se uma produção de 21,9 milhões de toneladas, menor 0,9% que a divulgada anteriormente.

CEREAIS DE INVERNO (em grão) – Houve incrementos nos dados de produção da aveia (3,9%), cevada (1,8%) e trigo (8,8%). Para o trigo, a mais importante dessas culturas, a produção obtida de 5,6 milhões de toneladas informada em dezembro é 8,8% superior a do mês passado como consequência das novas avaliações de campo, com destaque para o Rio Grande do Sul, que suplantou o Paraná participando com 48,6% da produção nacional contra os 42,7% da safra paranaense.

Perspectivas para a produção agrícola em 2012

Nesta terceira avaliação, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2012 é estimada em 160,3 milhões de toneladas, superando em 0,3% a safra de grãos constatada em 2011 devido aos ganhos esperados nas regiões Nordeste (7,9%), Sudeste (5,0%) e Centro-Oeste (3,7%) enquanto que a área a ser colhida de 50,0 milhões de hectares cresce 2,7%, tendo em vista que, à exceção do Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, houve incremento nos demais estados. As informações do prognóstico representam 78,0% da produção nacional prevista enquanto as projeções respondem por 22,0% do valor total.


Dentre os produtos analisados para a próxima safra de verão, registram variações positivas na produção o algodão herbáceo (2,2%) e o milho 1ª safra (7,9%). Com variação negativa, amendoim em casca 1ª safra (8,2%), arroz em casca (11,2%), feijão em grão 1ª safra (9,6%) e soja em grão (0,9%). Com relação à área a ser colhida, à exceção do arroz e feijão 1ª safra, que apresentam, respectivamente, decréscimos de 8,9% e 4,9%, para os demais produtos verificam-se acréscimos: algodão herbáceo em caroço (0,4%), amendoim em casca 1ª safra (5,0%), milho em grão 1ª safra (9,0%) e soja em grão (2,4%).

Algodão em caroço – O terceiro prognóstico da produção de algodão em caroço é da ordem de 5,2 milhões de toneladas, contra 5,1 milhões de toneladas obtidas em 2010, indicando um incremento de 2,2%. Dentre os principais produtores destaca-se Mato Grosso, maior produtor, que participa com 50,2% da produção nacional.

Arroz – A produção esperada de 11,9 milhões de toneladas é 11,2% inferior à obtida em 2011 e 2,9% menor que o prognóstico anterior, devido aos novos números do Rio Grande do Sul. Neste estado, maior produtor, com 65,8% de participação na produção nacional, a produção esperada de 7,9 milhões de toneladas é 4,3% menor que a informada anteriormente e mostra uma retração de 12,1% relativamente a obtida neste ano. Essa nova avaliação amplia em 5,1% a tendência de queda na área plantada, agora avaliada em 1,1 milhão hectares, caindo 10,1% quando confrontada a de 2011.

Feijão 1 ª safra – O terceiro prognóstico indica uma produção de 1,8 milhão de toneladas, 9,6% aquém da alcançada em 2011. A área plantada ou a plantar, de 2,2 milhões hectares, apresenta redução de 6,8%. Em relação ao levantamento de novembro houve quedas na área (0,6%) e produção (0,5%).


Milho 1ª safra – Espera-se uma produção de 36,9 milhões de toneladas, maior 7,9% que a de 2011, devido à ampliação de 7,1% na área de cultivo, estimada em 8,2 milhões de hectares, com um rendimento médio 4.483 kg/ha, 1,0% inferior a 2011. Comparativamente ao levantamento anterior, a produção caiu 0,6% devido à queda de 12,9% observada no Rio Grande do Sul.

Soja – A produção esperada de 74,2 milhões de toneladas, apresenta uma variação negativa de 0,9% em comparação à registrada 2011, porém acrescida em 0,4% quando confrontada a de novembro. A área a ser colhida (24,6 milhões de hectares) mostra um crescimento de 2,4%, enquanto o rendimento esperado (3.013 kg/ha) apresenta um decréscimo de 3,2%.

Café – O IBGE divulga a primeira estimativa de café para a safra nacional a ser colhida em 2012, que totaliza 3.005.336 toneladas, ou 50,1 milhões de sacas de 60 kg do produto em grãos beneficiados. O percentual de acréscimo, em relação a 2011, é de 12,5%. A área destinada à colheita é de 2.125.161 ha, 0,8% superior ao ano de 2011. A área total ocupada com a cultura aumenta 0,6%, alcançando 2.360.729 ha. O rendimento médio esperado é de 1.414 kg/ha, 11,6% maior que o obtido em 2011. O aumento previsto na produção, em relação à safra colhida em 2011, é consequência, principalmente, da particularidade que apresenta o café arábica, espécie predominante no país (70%), de alternar anos de altas e baixas produtividades.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink