Em Minas, frango vivo recuperou 25 centavos na 1ª semana de junho
CI
Agronegócio

Em Minas, frango vivo recuperou 25 centavos na 1ª semana de junho

A torcida, pois, é a de que agora tudo isso se repita
Por:

O frango vivo que está sendo abatido hoje em Minas Gerais foi comercializado no sábado (07.06), por R$2,10/kg, ou seja, apenas cinco centavos a menos que o valor registrado no interior paulista, onde o frango vivo completou 18 dias com o preço inalterado em R$2,15/kg, mas com negócios sendo realizados a preços inferiores. Inclusive neste sábado.

O fato é que, próximo de completar-se o primeiro terço do mês (ou seja: normalmente, o de negociações mais ativas), o mercado paulista permanece na mesma letargia de maio. Ou pior do que em maio. Porque, no mês passado, o frango vivo comercializado no interior paulista alcançou preço médio de R$2,18/kg. Agora não passa de R$2,15/kg.

A situação de Minas Gerais não é muito diferente. Pois a despeito dos cinco aumentos consecutivos de cinco centavos cada um, o preço alcançado pelo frango mineiro permanece quase 20% abaixo do valor de abertura de 2014 (a perda de São Paulo é de 14%).

A questão que fica agora é: uma vez que o melhor período de vendas do mês vai ficando para trás, há chances de as altas do frango mineiro prosseguirem e/ou de o frango paulista deixar para trás a atual fase de letargia?

Sim, se o mercado mantiver o mesmo comportamento do ano passado. Em 2013, o frango vivo, como ocorre agora, encerrou a primeira quinzena de junho com o menor preço do ano, mas sem ter registrado, até então, nenhum ajuste positivo (em menos de seis meses, a cotação do produto apenas sofreu quedas, acumulando perda de 40%). 

Isso começou a mudar no momento mais improvável, isto é, na segunda quinzena do mês, desencadeando-se um processo de recuperação de preços que se manteve até outubro. Na ocasião, em cerca de três meses a cotação do frango vivo registrou alta de mais de 60%, retornando aos mesmos valores do início do ano.

A torcida, pois, é a de que agora tudo isso se repita. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink