Em Viamão, Emater/RS-Ascar realiza Inseminação Artificial em Tempo Fixo
CI
Agronegócio

Em Viamão, Emater/RS-Ascar realiza Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Técnica de IATF tem várias vantagens para o pequeno produto
Por:

No início da semana, técnicos da Emater/RS-Ascar de Viamão e assistentes técnicos regionais da Instituição iniciaram os procedimentos de Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF), na propriedade do pecuarista familiar Arlindo Colombo, na localidade de Estância Grande. A técnica de IATF tem várias vantagens para o pequeno produtor, que necessita de melhoramento genético do rebanho e retorno financeiro, e é oferecida às unidades de produção assistidas.

No primeiro ano, o índice de concepção obtido na propriedade de Colombo foi de 75%, sendo que em anos anteriores não chegava a 30%. ?Além disso, os terneiros nascidos a partir desta técnica têm uma genética mais compatível com produção de carne?, destaca a técnica em Pecuária da Emater/RS-Ascar de Viamão, Carla Vogel Rodrigues.

De acordo com Carla, no Estado, a bovinocultura de corte se caracteriza pela criação extensiva, que apresenta baixos índices de produtividade e rentabilidade, principalmente em decorrência de comprometimentos na detecção do cio. ?Quando há falhas na sua detecção, ocorrem significativas perdas na eficiência reprodutiva do rebanho, aumentando o intervalo entre partos?, explica Carla, ao destacar que o ponto crítico da pecuária de corte está no sistema de cria, devido à baixa fertilidade das fêmeas no pós-parto, pois o anestro torna-se prolongado, causado pela subnutrição e lactação. ?Essa situação contraria os objetivos de uma pecuária rentável, que visa obter uma cria/vaca/ano?, observa a técnica.

A proposta de uso deste procedimento é incrementar os índices reprodutivos dos rebanhos bovinos. As técnicas de IATF são fundamentadas, principalmente, na criação de protocolos que têm a função de induzir e/ou sincronizar o cio no período após o parto ou próximo à puberdade, possibilitando que a Inseminação Artificial (IA) seja realizada na data e horário previsto, em grande número de animais e em um curto período de tempo.

Entre as vantagens do uso da IATF estão concentração das parições, padronização dos terneiros e do rebanho, controle de doenças sexualmente transmissíveis, ordenação do trabalho na propriedade e diminuição do custo de reposição de touros. Tudo está ligado ao processo de melhoramento genético e na obtenção de animais com maior potencial de produção e reprodução.

?A escolha do protocolo a ser utilizado depende da avaliação técnica das condições da propriedade e dos animais a serem inseminados?, salienta Carla, ao explicar que alguns protocolos de IATF podem ser utilizados também para organizar a lactação nos bovinos de leite. ?A fertilidade das vacas leiteiras, principalmente as altamente produtivas, é mais baixa, devido a particularidades metabólicas, que tornam a concepção mais problemática, exigindo maior atenção na fase reprodutiva?, diz.

Com o emprego desta técnica, é possível manter um número de lactantes permanentes, obtendo assim a quantidade anual de leite desejada pelo produtor, fazer a escolha e seleção de animais com maior potencial leiteiro e formar um padrão genético apropriado para a estrutura da propriedade. ?Além disso, utilizar sêmen sexado pode aumentar o índice de nascimento de fêmeas no rebanho, produzindo assim futuras matrizes?, aconselha. O procedimento de Inseminação Artificial em Tempo Fixo prossegue no início da próxima semana.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.