Emater incentiva produção de guariroba em Aurilândia

Agronegócio

Emater incentiva produção de guariroba em Aurilândia

Atividade se destaca pelas várias formas de comercialização
Por:
798 acessos

De licor a doce, a guariroba tem se destacado na região de Aurilândia como formas de obtenção de renda para produtores rurais que investem na atividade. Com o objetivo de promover ainda mais a produção, a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) realiza trabalhos e projetos com cerca de 20 produtores de guariroba no município.

A Emater oferece atualmente assistência técnica contínua aos produtores e busca reativar a unidade demonstrativa de guariroba que foi instalada em 2007 no município de Aurilândia.

Segundo o coordenador da Unidade Regional da Emater Rio dos Bois, Claudionor Tomaz Severino, é esperado que no próximo ano, produtores recebam novas formas de capacitação. “Nosso objetivo é oferecer cursos de processamento da guariroba, como produção de bebidas e doces com o produto para fornecer novas possibilidades de obtenção de renda”, explicou o coordenador.

Produção

De acordo com a responsável pela Unidade Local da Emater em Aurilândia, Kelly Cristina Barbosa de Moraes, o trabalho de assistência técnica também visa contemplar produtores rurais de outras regiões. Ainda segundo Kelly, entre as informações repassadas aos produtores estão questões ligadas à rotação da cultura, formas de comercailziação e controle de pragas e doenças.

“Para investir na atividade, os agricultores precisam conhecer aspectos específicos como a quebra de dormência das sementes e a aplicação correta de herbicidas”, explicou Kelly Cristina.

Rentabilidade

Para o produtor de guariroba Divino Moreira Furtado, os 15ha plantados são rentáveis e, na ponta do lápis, apresentam grande potencial de renda. O produtor comercializa sua produção com feirantes da região por um preço médio de R$ 9 cada unidade.

Segundo o produtor, os feirantes levam, em média, 15 dias para realizar uma nova compra e isso gera um lucro mensal positivo. “Comercializamos cerca 300 unidades quinzenalmente. Se formos comparar os investimentos necessários, é uma atividade relativamente lucrativa”, ponderou Divino.

O produtor conta também que, uma vez por ano, realiza a compra das sementes e que esse é um dos maiores custos para o agricultor que decide atuar na produção de guariroba. “Atualmente, uma lata com 500 sementes sai por R$ 30. Tenho plantadas duzentas mil unidades. Nos cálculos, esse é meu maior investimento visto que a correção do solo foi realizada no início da atividade e que, depois dessa etapa, realizo somente a adubação exigida”, ressaltou Moreira.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink