Emater/MG premia cafés de qualidade superior

Agronegócio

Emater/MG premia cafés de qualidade superior

Entre os produtores classificados para a final, quatro são do Triângulo Mineiro
Por: -Redação
2 acessos

Três produtores de Monte Carmelo e um de Serra do Salitre estão entre os 40 finalistas do 3º Concurso de Qualidade Cafés de Minas, promovido pela Emater/MG e Universidade Federal de Lavras (Ufla). A premiação acontece nesta quinta-feira, às 14h, no Clube Social de Lavras. O concurso teve início em abril, quando foram inscritas 1.598 amostras de cafés de 181 municípios de todas as regiões do Estado. Na primeira etapa de pré-seleção foram classificadas 611 amostras e, na segunda, apenas 100.

As amostras finalistas (20 da categoria natural e 20 da categoria cereja/descascado/despolpado e desmucilado) foram definidas na semana de 23 a 27 de outubro, por provadores da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA – Brazil Speciality Coffee Association). Foram avaliados aspectos de qualidade como cor, aroma, sabor, corpo e acidez.

No dia 27 de outubro, foi realizado um leilão com a participação de compradores nacionais e internacionais do ramo de cafés especiais, além dos principais traders do mercado. Foram ofertados 40 lotes selecionados, sendo que o maior lote foi arrematado por R$ 1.460 a saca. Os melhores cafés de Minas alcançaram ágio de até cinco vezes o valor de mercado. O maior comprador do leilão foi a empresa Blaser & Wolthers, que arrematou oito lotes por preços que variaram de 195 a 255 centavos de dólar por libra peso. A empresa trabalha com importação de cafés especiais e faz a distribuição para torrefadores americanos.

De acordo com o coordenador técnico da Emater Lavras, Ednaldo José Abrahão, os leilões contribuem na parte de valorização do produto do cafeicultor, mas não é o principal objetivo do evento. Segundo ele, a intenção do concurso é identificar quais os problemas que os grãos apresentam e apontar soluções para os produtores. “Queremos incentivar a melhoria da qualidade do café produzido no Estado, de modo a aumentar a competitividade da cafeicultura mineira e o valor agregado do produto”, esclareceu.

Inscrições:

Este ano, o número de inscrições foi 80% superior ao da última edição do concurso, em 2005. De acordo com Ednaldo Abrahão, o crescimento do interesse demonstra a repercussão alcançada pela iniciativa. Minas Gerais é responsável por mais de 50% da produção nacional de café. Na última safra, o Brasil produziu cerca de 43 milhões de sacas de 60 quilos. O País é o maior produtor mundial (mais de 30% do total). No Estado, 80 mil propriedades rurais em 682 municípios produzem café. A atividade cafeeira gera 1,6 milhão de empregos diretos e indiretos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink