Agronegócio

Emater/RS-Ascar capacita técnicos no Alto Jacuí para estimular olericultura no Estado

A Emater/RS-Ascar capacitou extensionistas para incentivar no Corede Alto Jacuí a produção de legumes e verduras cultivados em hortas.
Por:
389 acessos

A Emater/RS-Ascar capacitou na quarta e quinta-feira (15 e 16/06) extensionistas para incentivar no Corede Alto Jacuí a produção de olerícolas - legumes e verduras cultivados em hortas. De acordo com dados da Instituição, o Rio Grande do Sul é um dos maiores produtores brasileiros de hortaliças, com área estimada em 69 mil hectares. Tradição e solos diferenciados, segundo a Emater/RS-Ascar, asseguram a produção de 25 diferentes espécies olerícolas, cultivadas no Estado por, pelo menos, 35 mil agricultores familiares. 

A carência de pesquisa sobre o assunto fez com que a supervisora da microrregião da Emater/RS-Ascar de Cruz Alta, engenheira agrônoma Monique Chaves, motivasse os técnicos a fazer uma capacitação. "A ideia era visitar propriedades e, após a visita, discutir o que foi observado", explicou Monique.

Em Cruz Alta, os extensionistas conheceram a produção de hortaliças do casal Rome Schneider e Valdir Luchmann, moradores da localidade Novo Horizonte. Em Ibirubá, a visita ocorreu na propriedade de Simone e Leomar Frankenberger, na localidade Linha Duas.

O assistente técnico regional em Sistemas de Produção Vegetal da Emater/RS-Ascar, Gilberto Bortolini, levou para a capacitação quatro "grandes temas": manejo do solo para hortaliças - revolvimento adubação, cobertura, estudo da fertilidade; períodos críticos para o cultivo de olerícolas e práticas para amenizar as perdas; irrigação; e fatores climáticos que interferem na produção de hortaliças - temperatura, umidade do ar, luminosidade. 

O foco do trabalho da Emater/RS-Ascar no Rio Grande do Sul é o abastecimento da família e do mercado, com a manutenção da autonomia do Estado.

Entre as principais ações da Emater/RS-Ascar estão a elaboração de projetos de irrigação; priorização do uso de práticas e insumos de menor impacto ambiental; incentivo na instalação de agroindústrias; e incentivo no uso de boas práticas para oferecer ao mercado produtos competitivos.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink