Emater/RS-Ascar orienta compostagem em escola de Bento Gonçalves
CI
Imagem: Divulgação
EDUCAÇÃO

Emater/RS-Ascar orienta compostagem em escola de Bento Gonçalves

Todo o adubo da compostagem será utilizado na horta escolar, que receberá mudas e sementes de vegetais para consumo
Por:

No município de Bento Gonçalves, a Emater/RS-Ascar desenvolve um trabalho de acompanhamento e assistência a turmas do 3º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Professora Liete Pozza, em ações como o uso da compostagem. Os extensionistas da Emater/RS-Ascar prestam orientação de como pode ser construída uma composteira e também do que pode ser utilizado para confeccionar a compostagem. Sendo assim, em uma das palestras realizadas, foi mencionado de que forma pode-se abastecer e quais resíduos da escola podem ser colocados na composteira, como pontas de lápis, por exemplo.

Durante uma das conversas com os alunos foi ressaltada a importância do aproveitamento de resíduos para adubo, bem como da proteção do solo com palhadas e adubos naturais, e como isso interfere na vida do solo. Como demonstração de método e entendimento visual foi apresentado um experimento com solo desprotegido e solo protegido, onde os alunos puderam compreender melhor a importância de uma boa proteção de solo e uma correta adubação.

A escola possui um projeto de sustentabilidade e cada turma é responsável por uma atividade. No caso das turmas de 3º ano do ensino fundamental, os alunos estão desenvolvendo a ação de conscientização da escola e da família para o aproveitamento dos restos de alimentos e palhadas com uso na compostagem. A escola possui as caixas de compostagem que já vêm sendo abastecidas pelos alunos com resíduos de alimentos e palhadas, em que a compostagem é realizada com minhocas californianas que auxiliam no aceleramento do processo.

Todo o adubo da compostagem será utilizado na horta escolar, que receberá mudas e sementes de vegetais para consumo. O projeto também contempla o a venda dos produtos produzidos na horta, a fim de que os alunos formem um caixa financeiro para a manutenção da escola.

"O projeto é muito importante, pois além de dar importância ao aproveitamento dos resíduos gerados com alimentos e restos de palhadas, apresenta aos alunos como plantar e cultivar alimentos. Também exibe uma das formas de agregar valor aos produtos e ao trabalho, podendo até gerar rentabilidade financeira", destaca a extensionista social da Emater/RS-Ascar, Luciana Marion Fagundes.

"Estamos mostrando aos alunos a importância da preservação do solo, demonstrando através de experiências em sala de aula os benefícios da cobertura de solo, ajudando na manutenção da vida do solo, evitando a erosão e contribuindo no abastecimento do lençol freático na nossa região", frisa o extensionista rural da Emater/RS-Ascar, Thompson Benhur Didone.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.