Emater/RS-Ascar viabiliza uso do selo Senaf para agroindústria marcelinense
CI
Imagem: Divulgação
SELO

Emater/RS-Ascar viabiliza uso do selo Senaf para agroindústria marcelinense

A agroindústria tem a sua atividade econômica baseada na cultura da mandioca
Por:

A agroindústria KL Alimentos, localizada na comunidade São Sebastião, em Marcelino Ramos, tem a sua atividade econômica baseada na cultura da mandioca. A família, que atua desde o cultivo do solo, colheita, industrialização até a fase de comercialização dos produtos beneficiados (mandioca descascada e mandioca palito), comemorou mais esta conquista. A agroindústria recebeu do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) o Selo Nacional de Agricultura Familiar (Senaf). O certificado foi entregue ao casal empreendedor Marines e Marcos Kruze, na segunda-feira (16/08), em sua propriedade.

A agroindústria produz 300 quilos de mandioca por dia, que são comercializados na região do Alto Uruguai e para em outros municípios próximos. Na propriedade, de 7 hectares, são cultivadas 11 variedades, entre elas algumas obtidas pelo trabalho de seleção que a família realiza e outras através da Emater/RS-Ascar, por meio de órgãos de pesquisa como a Epagri e a Embrapa. Entre os principais fatores geográficos que contribuem para o sucesso da produção, está o microclima e o solo da propriedade, localizada na calha do rio Uruguai. Além disso, Marcos Kruze lembra que são 40 anos de trabalho com produção de mandioca e frutas, que resultam em muita experiência e avalição das cultivares para se chegar ao produto que ganhou mercado há mais de seis anos.

"Não é uma simples plantação de mandioca. Ela começa na muda, na terra, na lavagem da raiz, até chegar à agroindústria. É muito trabalho e dedicação, mas estamos colhendo bons resultados", disse Kruze. Ele adiantou que estuda trabalhar com outros produtos, dentre eles a mandioca pré-cozida e a polpa de mandioca. Em nome da família agradeceu o apoio da Emater/RS-Ascar e da Prefeitura.

O extensionista Antonio Pandolfo elogiou a experiência dos produtores. "É uma família aberta para receber e difundir os conhecimentos", ressaltou ao destacar o trabalho que a Emater vem realizado ao longo dos anos. "A família é um difusor de tecnologia e de avaliação de novos cultivares produzidos pela pesquisa. Colabora com outros produtores de mandioca na medida que é um multiplicador de cultivares, fornecendo anualmente material para a Emater para distribuir para os demais municípios da região que não possuem a proteção contra as geadas, na inversão térmica proporcionada pelo Rio Uruguai", acrescentou. Também lembrou que a família sempre participou das atividades e programas realizados pelo cooperativismo, a exemplo da Vitrine Rural.

O extensionista destacou ainda que a KL Alimentos está legalizada sanitária, ambiental e tributariamente. "Iniciamos com um trabalho avaliando quatro cultivares da Epagri e no ano seguinte estendemos para 11. A necessidade de mão de obra e a renda da agroindústria possibilitou a família trazer de volta as filhas Keila e Pamela, que antes trabalhavam em Concordia. Bem como, deverá viabilizar a nova geração da família na propriedade, uma vez Alexandre Lunge, casado com Pamela, também integra a agroindústria", finalizou Pandolfo.

O prefeito Vannei Mafissoni parabenizou a família pela dedicação, persistência e enfrentamento das dificuldades juntamente com a Emater/RS-Ascar. O secretário municipal da Agricultura Sergio Beal salientou que "é um ato de homenagem mais que merecido", e que trabalha para implantar em Marcelino Ramos o Susaf (Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte), que também considera importante para as agroindústrias.

O gerente regional da Emater/RS-Ascar em Erechim Gilberto Tonello cumprimentou a família em nome da Instituição e destacou o trabalho do Escritório Municipal e da equipe da Unidade de Cooperativismo de Erechim realizado com as cooperativas e agroindústrias. "Essa transformação do produto em agroindustrializado agrega valor, gera renda e emprego e mantém as famílias no campo", enfatizou.

O vereador Enio Wittmann também parabenizou a família pela conquista: "é um reconhecimento importante, pois a família soube buscar alternativas para permanecer no campo e contribuir na sucessão familiar".

O município de Marcelino Ramos conta com oito agroindústrias incluídas no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf) e outras duas em fase de legalização. É o terceiro município com maior número de agroindústrias na região do Alto Uruguai. A maioria delas está associada à Cooperativa Cocel, a qual atua na comercialização dos produtos industrializados. A ação se viabilização do Selo ocorreu através de duas frentes de trabalho da Emater/RS-Ascar, vincula à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), através da Assistência Técnica e Extensão Rural e Social (Aters) e da Unidade de Cooperativismo.

Participaram do ato também a extensionista do Escritório Municipal, Dalva da Costa, e o extensionista chefe da Unidade de Cooperativismo da Emater/RS-Ascar de Erechim, Jhonatan Munaretto Imlau


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.